Quarta, 17 Maio 2017 10:01

Saiba o que se pode fazer para reduzir a incidência do câncer na nova geração

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Foto: Reprodução

“Mais vale prevenir do que remediar”. Apesar de todos os avanços já alcançados no tratamento do câncer, ninguém discorda de que o ditado continua verdadeiro.

Felizmente, há muito o que fazer para evitar o câncer ou, pelo menos, diagnosticá-lo precocemente, a tempo de impedir danos irreparáveis.

No entanto, as mudanças nos hábitos que poderiam evitá-las têm se revelado um enorme desafio. Por isso, o ideal é adotar um estilo de vida saudável o mais cedo possível, com cuidados ainda na infância, para sermos mais eficientes na prevenção do câncer.

Alimentação

Inúmeros estudos populacionais mostram a importância dos hábitos alimentares no desenvolvimento do câncer. E, como os hábitos alimentares são adquiridos em casa, ainda na infância, devemos olhar para isso como um investimento no futuro.

O paladar das crianças costuma se formar nos primeiros anos de vida, daí a importância de se oferecer uma dieta variada.

A ciência já confirmou os benefícios de um cardápio rico em folhas, legumes e frutas (várias porções ao dia), azeites, grãos, castanhas e peixes. Sabemos também da importância de limitar a ingestão de açúcar e de alimentos enlatados e defumados, dando preferência a pães e massas feitos com farinha integral.

A limpeza e a boa preservação dos alimentos são fundamentais para assegurar seus benefícios. Lavar as folhas, legumes e frutas em água corrente é essencial.

Vale lembrar que a melhor preservação dos alimentos, com o uso disseminado dos refrigeradores, foi responsável, por exemplo, por uma enorme redução na incidência do câncer de estômago ao longo do século passado.

Cuidados com o sol

Tomar sol é um hábito bastante saudável. Todos sabem de sua importância para o desenvolvimento ósseo e de sua contribuição para o bem-estar físico e mental. Entretanto, está também cada vez mais claro que a exposição acumulada aos raios de sol representa um risco para o desenvolvimento dos diferentes tipos de câncer de pele.

Para evitar os prejuízos causados pelos raios UV sobre a pele, recomenda-se o uso de protetor solar em toda exposição à luz do sol. Se a exposição ocorrer após as 10 horas e antes das 16 horas, períodos em que a quantidade desses raios está aumentada, deve-se proteger a pele de forma mais completa, com chapéus e camisetas.

Vacinação

O vírus da hepatite B favorece o desenvolvimento do hepatocarcinoma (câncer de fígado), enquanto o vírus do papiloma humano (HPV) está associado a alguns tipos de câncer, entre eles o do colo uterino. A boa notícia é que existem vacinas capazes de evitar a infecção por estes dois agentes.

Por isso, é fundamental seguir rigorosamente o calendário de vacinação, conforme proposto pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pelo Ministério da Saúde (MS).

A vacina contra a hepatite B começa a ser administrada próximo ao nascimento, e é repetida várias vezes durante a infância.

O MS recomenda a vacinação contra o HPV entre 9 e 13 anos de idade, mas isso não significa que ela não possa ser administrada mais tardiamente, para jovens e adultos de qualquer idade.

As duas vacinas devem ser aplicadas em meninos e meninas.

Exercícios

O mundo enfrenta uma epidemia de obesidade e sedentarismo. Algo difícil de imaginar pouco tempo atrás. O problema maior é que essa situação já começa a afetar crianças e adolescentes, com consequências a longo prazo.

Estudos populacionais brasileiros apontam que mais de 1/3 de nossas crianças encontra-se em sobrepeso ou obesa.

Além de rever a alimentação, é fundamental que tenham tempo e busquem espaço para brincar, correr, jogar e, ainda mais importante, se divertir.

Exercícios físicos são muito importantes para o crescimento, o desenvolvimento neuromuscular, a formação óssea, o controle metabólico, a preservação da autoestima e, por fim, para evitar o câncer.

Fumo

O fumo é um dos principais fatores de risco conhecido para o desenvolvimento do câncer e responde pela grande maioria dos casos de câncer de pulmão, cabeça e pescoço, esôfago e bexiga, entre outros.

Pessoas que convivem com fumantes têm risco aumentado para desenvolver uma série de doenças, entre elas o câncer de pulmão. Sendo assim, o ambiente de uma criança deve estar sempre livre de fumaça de cigarro.

Sabemos também que uma boa parte das pessoas começa a fumar durante a adolescência. Como o risco de desenvolver o câncer aumenta conforme cresce o número de cigarros consumidos (consumo diário e tempo de tabagismo), começar a fumar cedo é motivo de grande preocupação.

É importante destacar que não existe uma quantidade segura de cigarros que uma pessoa poderia fumar sem precisar se preocupar com o câncer.

iG

 

 

Ler 392 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Usuários Online

Temos 2358 visitantes e Nenhum membro online

VITRINE PUBLICITÁRIA

Atacadão do Hortifruti

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

46ª FETRELI – Programação

Anuncie aqui

Leitor Repórter

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

GERAL

Conheça os mitos e verdades sobre a vaci…

POLÍCIA

Procurado da Justiça é preso após fugir …

ESPECIAL

TJ e Defensoria Pública do RS estão com …

GERAL

Dormir tarde aumenta chance de morte pre…

ESTADO

24 de abril é comemorado o Dia do Chimar…

GERAL

Saiba se alguém está espionando o seu Wh…

ESPECIAL

Semana inicia com instabilidade e alerta…

ESTADO

Vídeo mostra morte de piloto durante cor…

ESPECIAL

Acidente deixa feridos no trevo de acess…

TRÂNSITO

Veículo pega fogo no centro da cidade de…

TEMPO

Temporal derruba árvores, alaga ruas e t…

TRÂNSITO

Acidente na BR-468 deixa cinco feridos, …