Sábado, 14 Outubro 2017 19:27

Escolas estaduais gaúchas terão aulas até o dia 14 de janeiro por causa da greve

Avalie este item
(0 votos)

Foto: Leandro Osório/Especial Palácio Piratini

Como a maioria dos servidores que aderiram à greve do magistério no Rio Grande do Sul já retornaram às atividades (mais de 70% dos estabelecimentos estão funcionando normalmente), a Seduc (Secretaria da Educação) encaminhou orientações e critérios para a reorganização do Calendário Escolar 2017, para as escolas estaduais que se encontram em funcionamento normal a partir desta segunda-feira (16). A Seduc acrescenta que o Estado integralizou a folha dos professores na quarta-feira (11), quando mais de 70% das escolas retomaram o funcionamento normal, com o retorno dos educadores às salas de aula.

Com a flexibilização das regras, as escolas podem utilizar todos os sábados disponíveis até a integralização do ano letivo de 2017, cujo encerramento deve ocorrer até 14 de janeiro. A integralização do calendário escolar das etapas/modalidades ofertadas pelas escolas no turno da noite não utilizará sábados. Nos casos dos professores que seguirem em greve, a recuperação pode se estender até abril de 2018. “Nossa preocupação é com os alunos, especialmente aqueles que estão concluindo o ensino médio e vão prestar provas para o ingresso nas universidades e Enem”, afirma o diretor de Recursos Humanos da Seduc, José Adílson Santos Antunes.

“Em princípio, não usaríamos os sábados e prevíamos a recuperação após o encerramento do ano letivo, mas a situação dos concluintes nos fez rever esse posicionamento, para que os alunos e suas famílias não sejam ainda mais prejudicados”, pondera Adílson. No caso dos professores que não aderiram à paralisação, as atividades se encerram no dia 29 de dezembro.

O secretário-chefe da Casa Civil, Fábio Branco, reforçou a necessidade de união para o Estado sair da crise e construir saídas. “Conseguimos pagar 100% dos salários no 9º dia útil do mês. Pedimos que professores retomem as aulas segunda, normalizando o ano letivo”, solicitou. “Também pedimos para que os policiais civis retomem a normalidade do trabalho. A sociedade gaúcha não pode ser prejudicada”, acrescentou.

Novo calendário

A proposta de novo calendário escolar elaborada pelas escolas deve contemplar os 28 dias de greve dos meses de agosto, setembro e outubro, ser aprovada pelos Conselhos Escolares e encaminhada à Coordenadoria Regional de Educação (CRE) para homologação até a próxima sexta-feira (20), impreterivelmente. A CRE, por sua vez, deve analisar, ajustar e homologar os novos calendários e terá até o próximo dia 27 para remeter o quadro resumo da situação à Seduc.

A integralização do calendário escolar deve ser efetiva, permitindo aos alunos acesso a atividades curriculares que desenvolvam as competências, as habilidades e os conhecimentos necessários à continuidade dos estudos. Ainda de acordo com as orientações, as atividades escolares desenvolvidas no período de integralização devem ser presenciais.

A reorganização do calendário não afeta em nada o direito às férias dos professores de, no mínimo, 45 dias para os que estão em regência de classe. O início do ano letivo de 2018 está previsto para 22 de fevereiro.

 

O Sul

Ler 795 vezes

Usuários Online

Temos 144345 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

POLÍCIA

Presos dois suspeitos de tentativa de re…

ESPECIAL

HCTP apura denúncia de mau atendimento d…

ESPORTES

Liverpool tenta liderança em clássico co…

SEGURANÇA

PRF flagra mais de 2 mil veículos acima …

TRÂNSITO

Criança presa à cadeirinha é encontrada …

GERAL

Brasil tem a maior carga tributária do m…

ESPECIAL

Por que apesar da previsão ainda não cho…

ESPORTES

Com gol brasileiro, Porto consegue virad…

ESPORTES

Napoli visita o Cagliari para não deixar…

ESPORTES

Veja fotos de Torino x Juventus pelo Cam…

ESPORTES

Reims vence Strasbourg e sobe na tabela …

POLÍCIA

Jovem de 17 anos é encontrada morta com …