Sexta, 17 Novembro 2017 19:49

Bebê tem cabeça arrancada durante o parto em hospital

Avalie este item
(3 votos)

Bebê tem cabeça arrancada durante o parto em hospital

Foto: Reprodução

O que era para ser o momento mais feliz de uma mãe, o nascimento da filha, acabou em tragédia na cidade de Araguari (MG). O bebê de Tânia Borges da Silva teve a cabeça arrancada durante o parto. Isso porque a criança estava na posição pélvica (sentada) e o médico a puxou pelos pés.

“Na ambulância, a enfermeira para o motorista: ‘Pisa porque se nascer aqui, vai morrer todo mundo’. No hospital, a enfermeira começou a empurrar. Nisso, minha filha ficou presa na região da bacia, e eu sentia dor. Na hora que puxaram pelos pés, arrancaram a cabeça dela”, contou Tânia ao telejornal “Chumbo Grosso” da TV Vitoriosa, afiliada do SBT.

O parto normal foi desaconselhado pelo médico de Tânia, que morar em Tupaciguara, a 60km de Araguari. “O especialista disse que não dava para fazer assim porque a menina estava muito grande”, contou. Dessa forma, ele encaminhou a mãe duas vezes a fim de realizar a cesárea. No entanto, foi dispensada em todas as ocasiões.

A mãe entrou na Justiça contra a Santa Casa de Araguari responsável pelo parto. Procurada pela reportagem, o hospital não quis se pronunciar sobre o assunto e disse apenas que responde judicialmente.

 

Metrópoles

Ler 8492 vezes

Usuários Online

Temos 171352 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FENÔMENO

Geada é registrada próximo à divisa com …

POLÍCIA

Casal é amordaçado e amarrado dentro de …

REGIÃO

Homem é socorrido em estado grave após l…

SEGURANÇA

Como vai funcionar o novo sistema de cer…

DIVERSOS

Pavimentação asfáltica em Tiradentes do …

ESPECIAL

Justiça proíbe exigência da prefeitura q…

POLÍCIA

Jovem desaparecido é encontrado sem vida…

ESTADO

Gasolina no RS tem preço mais alto do su…

GERAL

PIS começa a pagar R$ 1,3 bi a quase 2 m…

JUSTIÇA

Médico é preso por dopar e abusar sobrin…

ESTADO

Governo pretende unificar telefones de e…

VARIEDADES

Precisamos de conversas mais sinceras - …