Terça, 21 Novembro 2017 12:38

Esporte vive a era dos superatletas com suplementos, treinamento e talento

Avalie este item
(0 votos)

Foto: Reprodução

São competidores cada vez mais altos, fortes, rápidos e ágeis. O conceito de que grande massa muscular e estatura acima da média são sinônimo de lentidão e inabilidade faz parte do passado. Quase todas as modalidades esportivas convivem hoje com uma geração de superatletas.

Talvez o maior exemplo desta evolução física seja o grego Giannis Antetokounmpo, que joga na NBA (principal liga de basquete dos Estados Unidos). Trata-se de um armador do Milwaukee Bucks que mede 2,11 metros e pesa 100 quilos. Apesar da envergadura de 2,26 metros, Giannis apresenta velocidade e habilidade impressionantes em quadra, o que o torna uma das principais atrações do melhor basquete do mundo.

Treinamentos específicos para cada trabalho muscular ou físico, aliados a ingestão de suplementos alimentares, garantem um desempenho excepcional para esses novos atletas. “Só é bom lembrar que o talento esportivo ainda é essencial. Ninguém ensinou Muhammad Ali a lutar boxe ou Pelé a jogar futebol”, disse Laércio Bertanha, há três décadas professor de Educação Física no Brasil.

Muhammad Ali e Pelé possuem os seus sucessores na atualidade. Cristiano Ronaldo foi eleito recentemente o melhor jogador de futebol do mundo pela quinta vez. Aos 32 anos, o atacante português é um “rato de academia”, mas está atualizado com o que tem de mais moderno no estudo da fisiologia. Cristiano Ronaldo se submete a um tratamento de DNA que faz com que ele perca um quilo de peso corporal por temporada até os 35 anos. Com isso, o astro do Real Madrid, de 1,85 metro e 84 quilos, pretende manter a massa física, a velocidade e a resistência para continuar em alto nível até o fim da carreira.

O britânico Anthony Joshua é o campeão dos pesos pesados, com 20 nocautes em 20 vitórias. Sua equipe de treinamento reúne 20 pessoas. Terapeutas, fisioterapeutas, médicos e osteopatas tratam de seu corpo e tentam evitar lesões. “Anthony treina seis vezes por semana, três vezes ao dia. São quatro horas de boxe e quatro horas de exercícios específicos para os músculos, a fim de dar maior força, flexibilidade e prevenir lesões”, informou o técnico Robert McCraken. Joshua pesa 115 quilos e tem 1,98 metro de altura.

Na Olimpíada de Londres, em 2012, o britânico ganhou a medalha de ouro com 95 quilos, o mesmo que Ali tinha no auge de sua carreira nos anos 60.

Outro que contrariou a opinião geral dos estudiosos foi o jamaicano Usain Bolt, que, apesar de medir 1,95 metro, superava a largada ruim nos 100 metros rasos com uma espantosa aceleração na parte final da prova. Isso o fez ganhar o tricampeonato olímpico. Antes de Bolt, os atletas, em sua modalidade, tinham no máximo dez centímetros a menos de altura.

No vôlei é comum os times formarem sextetos com todos os jogadores muito perto ou acima dos dois metros de altura. Mesmo assim, os atletas apresentam agilidade incrível para saltar e “dar peixinhos” durante as duas horas de duração, em média, das partidas. “A evolução não ocorre apenas na parte técnica das modalidades. A fisiologia no esporte teve avanço enorme nos últimos anos e ajudou para que os atletas pudessem realizar funções que antigamente não eram possíveis”, atestou Bertanha.

Para ser considerado um superatleta não é preciso ser também um garoto. Aos 36 anos, o suíço Roger Federer se mantém entre os maiores nomes do tênis, e graças a um trabalho de treinamento que é feito antes e depois dos dias de jogos. Tudo para manter o corpo preparado e equilibrado, mesmo com a idade avançada.

SÓ DEUS – “Antigamente, era mais importante ter talento para se tornar um craque no futebol. Hoje, além do talento, é preciso ser um atleta”, disse Turíbio Leite de Barros, doutor em Fisiologia do Esporte, que trabalhou 25 anos no São Paulo e que está há um ano e meio morando em Boca Raton, na Flórida, nos Estados Unidos, onde trabalha como consultor de um empresa fabricante de suplementos alimentares.

O futuro vai dizer se os superatletas vão dominar o esporte ou se vão continuar apenas a ser exceções em modalidades. “Só Deus pode responder isso”, brincou o professor Bertanha.

 

Isto é

Ler 330 vezes

Usuários Online

Temos 1999 visitantes e Nenhum membro online

VITRINE PUBLICITÁRIA

Promoção ZERO GRAU!

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Campeão de audiência

Vende-se prédio comercial em Humaitá

Anuncie aqui

Leitor Repórter

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ESPECIAL

Trator cai em esterqueira no interior de…

ESPECIAL

Bergamoteira surpreende pela grande quan…

TRÂNSITO

Caminhão fica preso em barranco em Tirad…

POLÍCIA

Homem esfaqueado segue internado na UTI …

MUNDO

Com doença terminal, mãe escreve cartas …

POLÍCIA

Bicheiro é abordado pela polícia em Boa …

REGIÃO

Homem morre afogado em rio no Noroeste d…

TRÂNSITO

Casal sobrevive ao ter carro esmagado po…

REGIÃO

Concursos públicos estão abertos em três…

SEGURANÇA

Casal é preso com anabolizantes, abortiv…

SERVIÇO

Bancos não podem descontar valores do PI…

REGIÃO

Homem morre no hospital de Tenente Porte…

...