Quinta, 07 Dezembro 2017 08:01

Aprovada pena maior para motorista alcoolizado que causar homicídio

Avalie este item
(0 votos)

Foto: Reprodução

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (6) aumento da pena mínima de quatro para cinco anos de prisão para motoristas embriagados que cometerem homicídio culposo. O texto segue agora para sanção do presidente Michel Temer, uma vez que foi votada emenda feita no Senado, onde o projeto já foi aprovado.

De autoria da deputada Keiko Ota (PSB-SP), o texto prevê punições mais duras para condutores alcoolizados ou sob efeito de drogas. No texto original aprovado na Câmara, as penas seriam de quatro a oito anos, passando agora, com a emenda feita pelo Senado, para cinco a oito anos. Atualmente, o Código de Trânsito estabelece detenção de dois a quatro anos.

O projeto aumenta a pena mínima de quem for pego dirigindo nestas condições de seis meses para um ano – a máxima se mantém em três anos.

A penalidade administrativa atual de suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor continua valendo.

Embora a pena aumente, poderá ser possível ainda ao juiz determinar a comutação de pena privativa de liberdade (reclusão) por pena restritiva de direitos porque o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) permite para o caso de homicídio culposo, ainda que a condenação seja por mais de quatro anos.

Crime de racha

O texto aprovado mantém a referência ao crime de racha apenas no artigo 308 do Código de Trânsito, que trata especificamente do assunto e prevê pena de detenção de seis meses a três anos se da prática não resultar em morte ou lesão grave, cujas penas são maiores.

Além da definição de racha como disputa, corrida ou competição não autorizada, o projeto inclui no conceito a exibição ou demonstração de perícia no veículo automotor sem autorização.

Lesão corporal

Quando o condutor alcoolizado ou sob influência de substâncias que alterem sua capacidade psicomotora causar, com o veículo, lesão corporal grave ou gravíssima, a pena será de reclusão de dois a cinco anos.

O único agravante previsto atualmente no código é de aumento de um terço da pena para casos de homicídio culposo se o agente não possuir permissão ou habilitação; praticar o ato em faixa de pedestres ou na calçada; ou deixar de prestar socorro à vítima do acidente.

As novas regras entrarão em vigor após 120 dias da publicação da futura lei.

Emendas rejeitadas

O parecer do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) rejeitou duas emendas do Senado. A principal delas acabava com o limite máximo de álcool a partir do qual o condutor flagrado pode ser condenado a pena de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da carteira ou proibição de obtê-la.

O código prevê a pena para aquele com concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar nos pulmões; ou ainda com sinais que indiquem, em forma disciplinada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), alteração da capacidade psicomotora.

A justificativa do relator é que os órgãos responsáveis pelas operações da Lei Seca manifestaram-se pela ineficácia da medida porque provocaria um aumento expressivo de condução de motoristas à Justiça devido ao provável aumento da recusa de uso do bafômetro, desfalcando a equipe e permitindo a passagem de pessoas que possam estar mais alcoolizadas.

 

Gazeta do Povo

Ler 1028 vezes

Usuários Online

Temos 67162 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FENÔMENO

Cidade registra tremores de terra no Rio…

TRÂNSITO

Homem morre ao ser ejetado de carro no N…

ESTADO

Governo estadual quita nesta terça salár…

ESPORTES

TAC enfrentará o Inter pelo Estadual Juv…

ESPECIAL

Autor de disparos no centro de Três Pass…

ESPECIAL

Após calorão, alerta para risco de tempo…

TP NEWS TV

Ursinho tenta alcançar mãe em penhasco

TRÂNSITO

Areia na pista causa queda de motociclet…

ESTADO

Menino de 12 anos está desaparecido em r…

BICHOS

Pensando em adotar? Veja as raças de cãe…

BICHOS

Epidemia faz zoológico substituir pingui…

SEXO

Fernanda Lima diz que programa polêmico …