Sexta, 09 Março 2018 12:56

Michel Temer se reúne com a presidente do STF dias após quebra de sigilo

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Apesar do encontro não constar na agenda oficial do presidente, ele afirmou que conversa tratou apenas sobre segurança pública e intervenção federal

Encontro entre Michel Temer e Cármen Lúcia ocorreu na residência da presidente do STF e não constava na agenda oficial

Encontro entre Michel Temer e Cármen Lúcia ocorreu na residência da presidente do STF e não constava na agenda oficial

Foto: TV Globo/Reprodução

Dias após ter a quebra do sigilo bancário decretada pelo ministrodo Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, opresidente Michel Temer fez uma visita neste sábado (10) à presidente do STF, a ministra Cármen Lúcia.

Oemedebista, porém, negou que a conversa tenha tratado de qualquer investigação.

Leia também:Barroso, do STF, determina quebra de sigilo bancário de Michel Temer

Temer afirmou que durante o encontro, que não constava em sua agenda oficial, ele e Cármen Lúciaconversaram sobre segurança pública e a intervenção federal decretada no estado do Rio de Janeiro há algumas semanas. A reunião foi realizada na casa da presidente do STF.

Ao sair do local, o presidentedisse que Cármen Lúciase comprometeu em colaborar nos assuntos de segurança, tanto no Rio de Janeiro como em outros estados. A situação dos presídios brasileiros também foi discutida entre os dois, segundo a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.

Leia também:Temer garante "total acesso" aos seus extratos bancários após quebra de sigilo

Após a reunião, o presidente recebeu no Palácio do Jaburu os ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Fazenda, Henrique Meirelles. A pauta do encontro, no entanto, ainda não foi divulgada.

Quebra de sigilo

É a primeira vez que um presidente da República em exercício de mandato tem o sigilo bancário rompido pela justiça.A decisão de Barroso se deu em 27 de fevereiro, mas só foi revelada à imprensa na noite de segunda-feira (5).

Leia também:Jovem apadrinhado do PTB é afastado de função no Ministério do Trabalho

A quebra de sigilo se refere ao período de 1º de janeiro de 2013 a 30 de junho de 2017 e tem por objetivo auxiliar a investigação contra Temer no inquérito sobre a Medida Provisória (MP) dos Portos.O presidenteé suspeito de ter aceitado propina da Rodrimar , empresa que opera o porto de Santos, em São Paulo, em trocade favorecimento ao grupo por meio da edição do decreto que regulamenta contratos de concessão e arrendamento do setor portuário.

Ler 276 vezes

Galeria de Imagens

Usuários do Dia

Temos 29646 visitantes e Nenhum membro online

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

TRÂNSITO

Acidente entre três veículos deixa um fe…

GERAL

Menino de 4 anos tenta suicídio após ass…

TRÂNSITO

Jovens morrem ao colidir moto contra col…

REGIÃO

Três-passense é o primeiro paciente a pa…

TRÂNSITO

Ônibus que levava torcedores do Grêmio p…

TEMPO

Chuva forte e volumosa deve atingir o Ri…

ESPECIAL

RSC-472 corre risco de novos deslizament…

ESPECIAL

Jovem de 23 anos desaparecida em Boa Vis…

JUSTIÇA

Médico volta a ser denunciado por crime …

GERAL

Brasileiros passam mais de 3 horas por d…

ESTADO

Lançado aplicativo para consumidores ins…

SEGURANÇA

Deep web: como funciona a parte obscura …