Segunda, 12 Março 2018 13:44

Ministério da Saúde lança campanha de vacinação contra HPV e meningite C

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Jovens entre 9 e 13 anos devem ir aos postos de saúde para se proteger; campanha vai até o fim do mês, mas doses estarão disponíveis o ano todo

Ministro da Saúde, Ricardo Barros, reconhece que é preciso criar aproximação dos jovens com a área da saúde

Ministro da Saúde, Ricardo Barros, reconhece que é preciso criar aproximação dos jovens com a área da saúde

Foto: Marcelo Camargo/ABr

Mais de 10 milhões de jovens deverão ser vacinados contra o vírus HPV neste ano.

Para atingir esse público, o Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (13) a Campanha de Mobilização e Comunicação para a Vacinação do Adolescente contra HPV e Meningites.

Durante o evento de inauguração da ação, foi apresentado um estudo que revelou que a prevalência do papilomavírus humano ultrapassa os 50% no Brasil. Por isso, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, ressaltou que a ideia da campanha é aumentar o número de jovens vacinados contra o HPV.

Dessa forma, meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos poderão ir a qualquer posto de saúde para conseguir a vacina. São duas doses que devem ser tomadas, sendo a segunda depois de seis meses.

Além disso, a campanha também reforça a importância da vacinação contra meningite C. Neste ano, a faixa etária de imunização contra a doença foi ampliada e passa a ser de 11 a 14 anos para os meninos, e 12 e 13 para as meninas. Até 2017, eram imunizados apenas meninos e meninas de 12 e 13 anos.

“A campanha está completamente de acordo com a mudança de foco que estamos implantando no Ministério da Saúde, que é priorizar a prevenção”, avaliou Barros.

Apesar da ação, a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Carla Domingues, explicou que a vacina estará disponível o ano inteiro para adolescentes e não em um período pré-definido.

Leia também:Aparelho usado para eliminar verrugas genitais pode ser eficaz contra o HPV

Aproximação dos jovens

A campanha, que será veiculada de 13 a 30 de março, será apenas de esclarecimento e conscientização para que o público alvo compareça aos pontos de vacinação até o fim de 2018.

Com o slogan "Não perca a nova temporada de vacinação contra a meningite C e o HPV", farão parte da estratégia a exibição de filmes, jingles para rádios, outdoors, envelopamentos em metrôs e ônibus, peças digitais e conteúdos para redes sociais, cartazes e folders.

Essa foi a tática adotada pelo governo para incentivar jovens a irem buscar a imunização. Durante a coletiva de imprensa, o ministro da Saúde reconheceu que falta aproximar esse público dos postos de vacinação. “Dificilmente a gente consegue levá-los à unidade de saúde”, afirmou Barros.

Para fabricar as 14 milhões de vacinas contra o HPV, a pasta vai gastar R$ 506,6 milhões e R$ 493 milhões para comprar as mais de 15 milhões de doses contra meningite C.

Vacinação nas escolas

Durante coletiva de imprensa, Barros cobrou maior participação dos gestores municipais e das escolas no processo de imunização, já que adolescentes configuram um público-alvo que dificilmente procura os centros de saúde.

A pasta informou que já enviou ao Ministério da Educação material informativo sobre ambas as doenças. A proposta consiste em estimular os professores a conversar com alunos e familiares sobre o tema.

“Nesta campanha, vamos pedir ao MEC que solicite às escolas o envio ao Ministério da Saúde da programação de vacinação em cada unidade escolar”, completou o ministro.

HPV

Dados do ministério apontam que, desde a incorporação da vacina contra o HPV no Calendário Nacional de Vacinação, 4,9 milhões de meninas completaram o esquema com a segunda dose, totalizando 48,7% do total de público na faixa etária de 9 a 14 anos.

Com a primeira dose, foram vacinadas 8 milhões de meninas nessa mesma faixa, o que corresponde a 79,2%. A pasta alerta, entretanto, que a cobertura vacinal só está completa com as duas doses.

Já entre os meninos, 1,6 milhão foram vacinados com a primeira dose, o que representa 43,8% do público-alvo.

No Brasil, são estimados 16 mil casos de câncer de colo do útero por ano e 5 mil óbitos de mulheres associados à doença. Mais de 90% dos casos de câncer anal e 63% dos cânceres de pênis são atribuídos à infecção, principalmente pelo subtipo 16.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também:Entenda por que fazer o Papanicolau pode evitar o câncer do colo do útero

Ler 147 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Usuários Online

Temos 1940 visitantes e Nenhum membro online

.......

VITRINE PUBLICITÁRIA

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

POLÍTICA

Partido expulsa prefeito natural de Tene…

ESTADO

Hospital atesta óbito de bebê vivo no in…

ESPECIAL

Câmeras flagram homem encapuzado em gara…

GERAL

Polícia investiga se houve negligência d…

ESPECIAL

Bebê recém-nascido de mãe que morreu dur…

CIDADE

CPI realizará mais uma reunião de trabal…

ESPECIAL

Conheça as candidatas à rainha e princes…

POLÍCIA

Vídeos - Homem ataca policiais com facão…

INUSITADO

Vídeo - “Briga inusitada” é registrada n…

REGIÃO

UTI do Hospital Santo Antônio já tem dat…

GERAL

Coca-Cola está de olho em mercado de beb…

TRÂNSITO

Acidente envolve dois veículos na ERS-21…