Terça, 15 Maio 2018 13:55

Fachin autoriza inquérito que apura repasses de R$ 40 milhões a políticos do MDB

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Valor teria sido pago pela empresa J&F, e segundo o ex-executivo Ricardo Saud, a pedido do PT; Renan, Jucá e Eunício são alguns dos senadores citados

Ministro Edson Fachin%2C do STF%2C autorizou a abertura de inquérito que apura repasses da J&F a políticos do MDB

Ministro Edson Fachin%2C do STF%2C autorizou a abertura de inquérito que apura repasses da J&F a políticos do MDB

Foto: Nelson Jr./SCO/ST - 18.05.2017

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de um inquérito para investigar o suposto recebimento, por parte de políticos do MDB, de repasses ilegais provindos da empresa J&F.

De acordo com a apuração inicial do Ministério Público, cerca de R$ 40 milhões teriam sido repassados para o partido durante a campanha eleitoral de 2014.

Leia também: PGR se manifesta contra redução automática de foro para governadores

Essa decisão de Edson Fachin foi tomada nessa terça-feira (15), mas só foi registrada nesta quarta (16) no sistema do STF. Tal investigação usará como base uma denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR), apresentada em abril.

De acordo com a procuradora-geral, Raquel Dodge, essas suspeitas são baseadas em delações premiadas. As informações que incriminam políticos do MDB foram reveladas nos depoimentos de Sérgio Machado, ex-senador pelo MDB e ex-presidente da Transpetro, e de Ricardo Saud, ex-executivo da J&F.

O que dizem Machado e Saud sobre o MDB

Em sua delação, Machado disse que chegou até ele a informação de que a JBS – do grupo J&F – faria doações à bancada do MDB do Senado em 2014 no valor de R$ 40 milhões, a pedido do PT.

Os senadores citados pelo delator são Renan Calheiros (AL), Jader Barbalho (PA), Romero Jucá (RR), Eunício Oliveira (CE), Vital do Rêgo (PB; hoje ministro do Tribunal de Contas da União), Eduardo Braga (AM), Edison Lobão (MA), Valdir Raupp (RO) e Roberto Requião (PR), além de outros nomes não especificados.

Por sua parte, Saud afirmou que houve pagamento de aproximadamente R$ 46 milhões a senadores do MDB e acrescentou: foi a pedido do PT.

Leia também: Fachin prorroga inquérito contra Eunício e Rodrigo Maia por mais 60 dias

De acordo com o que informou o delator, apesar de diversas doações terem sido realizadas de forma oficial na época, "tratava-se de vantagem indevida, uma vez que dirigentes do PT estariam comprando o apoio de peemedebistas para as eleições de 2014 como forma de assegurar a aliança entre os partidos".

O ex-executivo da J&F afirmou ainda, que o objetivo era "manter a unidade no PMDB, já que havia, à época, risco de ruptura, com a perspectiva de integrantes do partido passarem a apoiar formalmente a campanha de Aécio Neves à Presidência da República."

Vale ressaltar que, ao abrir tal inquérito, Edson Fachin destacou que, por enquanto, não é possível dividir a investigação sobre as pessoas sem foro privilegiado porque houve "descrição de condutas materialmente imbricadas".

Leia também: MPF denuncia Joesley Batista por comprar atuação de procurador da República

Ler 159 vezes

Galeria de Imagens

Usuários Online

Temos 1655 visitantes e Nenhum membro online

.......

VITRINE PUBLICITÁRIA

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DIVERSOS

Primeiros semifinalistas do campeonato d…

TP NEWS TV

Escolha das Soberanas da FEICAP 2019

MUNDO

Mãe encontra cobra venenosa dentro de be…

TRÂNSITO

Caminhonete sai da pista na BR-472, em T…

TEMPO

Sobe para 15 o número de cidades atingid…

TRÂNSITO

Carro sai da pista e destrói ponto de ôn…

POLÍCIA

Homem é preso levando cavalo amarrado em…

CIDADE

CPI vai começar a ouvir profissionais do…

PAÍS

Caixa começa a cobrar juros menores para…

GERAL

Celulares irregulares começam a ser noti…

POLÍCIA

Homem é morto a tiros no pátio de parado…

ESPECIAL

Alerta para temporais e enchentes nos pr…