Terça, 15 Maio 2018 16:09

Após ser solto, Paulo Preto decide não fazer delação premiada

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Apontado pelo Ministério Público como operador de propinas do PSDB, Paulo Preto havia sido preso em abril; por decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, ele foi solto na última semana

Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa-SP, apontado como operador de propinas do PSDB

Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa-SP, apontado como operador de propinas do PSDB

Foto: Antonio Augusto/Agência Câmara

Paulo Vieira de Souza, ex-presidente da Dersa, empresa de capital misto do estado de São Paulo responsável por obras rodoviárias, desistiu de fazer um acordo de delação premiada com o Ministério Público após ser solto na quinta-feira (11).

A informação é do jornal Folha de S.Paulo.

Leia também:Fachin autoriza inquérito que apura repasses de R$ 40 milhões a políticos do MDB

Paulo Preto, como é conhecido, é apontado por investigadores da força-tarefa da Lava Jato como operador de propinas do PSDB. Ele foi solto na semana passada por consequência de uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, que concedeu-lhe habeas corpus.

Antes de sua soltura, membros da alta cúpula do PSDB temiam que ele firmasse um acordo de colaboração com o Ministério Público. Nos bastidores, comentava-se que uma possível delação de Paulo Preto poderia atingir José Serra, governador de São Paulo que o indicou à presidência da Dersa, e o ex-governador e pré-candidato à presidência da República, Geraldo Alckmin.

Paulo Preto é suspeito por comandar um desvio de R$ 7,7 milhões, destinados ao reassentamento de desalojados por obras do trecho Sul do Rodoanel, na Região Metropolitana de São Paulo, durante o governo do tucano José Serra, entre os anos de 2009 e 2011.

Ainda, de acordo com as autoridades suíças, Paulo Preto abriu quatro contas no banco Bordier & Cie, em Genebra, logo após ser nomeado para a empresa estatal, em 2007, durante o governo de José Serra ( PSDB ).

As contas, registradas em nome de empresas offshores com sede no Panamá cujo um dos beneficiários era o ex-diretor da Dersa , receberam "numerosas entradas de fundos" no período até 2009. Ele teria R$ 120 milhões guardados na conta, dinheiro supostamente utilizado para irrigar campanhas eleitorais dos tucanos.

Leia também:PF pede mais 60 dias para concluir investigação sobre Michel Temer e ministros

Novo pedido de prisão

Paulo Preto tinha uma audiência marcada na Justiça de São Paulo marcada para o dia 14 de maio, poucos dias após sua soltura. O engenheiro, contudo, não compareceu, o que motivou a procuradora Adriana Scordamaglia a requisitar novo pedido de prisão.

Scordamaglia, responsável pelo processo contra Paulo, justificou o pedido de prisão: “deixar passar em branco tal desídia significa desacreditar eu a Justiça de primeiro grau tem extremado valor para todo o sistema jurídico brasileiro”, argumentou.

A defesa de Paulo Preto , por sua vez, afirmou que seu cliente não desobedeceu ao compromisso firmado, uma vez que o STF determinou que a juíza Maria Isabel do Prado não desse início aos trabalhos antes de responder aos argumentos que pedem a absolvição do réu.

Leia também:Gilmar Mendes manda soltar Milton Lyra, lobista do MDB

Ler 145 vezes

Galeria de Imagens

Usuários Online

Temos 1997 visitantes e Nenhum membro online

.......

VITRINE PUBLICITÁRIA

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CIDADE

Sine disponibiliza vagas de emprego em T…

TRÂNSITO

Motorista tenta cruzar rodovia de trator…

DIVERSOS

Primeiros semifinalistas do campeonato d…

TP NEWS TV

Escolha das Soberanas da FEICAP 2019

MUNDO

Mãe encontra cobra venenosa dentro de be…

TRÂNSITO

Caminhonete sai da pista na BR-472, em T…

TEMPO

Sobe para 15 o número de cidades atingid…

TRÂNSITO

Carro sai da pista e destrói ponto de ôn…

ESPECIAL

Homem é preso levando cavalo amarrado em…

CIDADE

CPI vai começar a ouvir profissionais do…

PAÍS

Caixa começa a cobrar juros menores para…

GERAL

Celulares irregulares começam a ser noti…