Sábado, 02 Junho 2018 00:23

Caminhoneiro gaúcho recebe multa de R$ 400 mil por bloqueio durante greve

Avalie este item
(2 votos)

Por 11 dias, caminhoneiros fizeram manifestações por todo o país. Foto: Ronaldo Bernardi/Agencia RBS

Morador de Passo Fundo, o caminhoneiro Celso Jorge Almeida Riter havia acabado de chegar em casa, na tarde de quinta-feira (31), quando soube que sua empresa, a Riter Transportes, consta em uma lista de seis companhias do RS multadas por supostos bloqueios em rodovias nos últimos dias.

Conforme a determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), Riter terá de pagar R$ 400 mil em até 15 dias.

O motorista de 53 anos afirma que está surpreso com a medida. Ele conta que estava retornando de São Paulo na madrugada do último dia 22, quando ficou trancado na rodovia Régis Bittencourt, em Embu das Artes (SP).

— Não organizei bloqueio. Fiquei trancado. Não tinha o que fazer. Só consegui sair de lá na quarta-feira de manhã, depois que o Exército chegou. Se fosse para organizar uma paralisação, por que faria em outro Estado? — questiona. — Meu único bem é meu caminhão, que não vale nem R$ 100 mil. Vou procurar um advogado — emenda.

As punições às seis companhias com Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) registrado no Rio Grande do Sul somam R$ 11,4 milhões. Além da transportadora de Riter, aparecem na lista divulgada pelo STF a Prestadora de Serviços Gaúcha (R$ 400 mil), a Transportes Manju (R$ 400 mil), a Socorro do Mois (R$ 400 mil), a Rodoviário Mio (R$ 400 mil) e a Titoni Transportes (R$ 9,4 milhões).

Em todo o Brasil, a decisão de Moraes atinge 96 empresas. As multas pelas supostas interdições chegam a R$ 141,4 milhões.

Em sua decisão, publicada na quarta-feira (30), o ministro declara que as companhias descumpriram sua determinação do último dia 25.

Na ocasião, Moraes havia acolhido pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), autorizando multas de R$ 100 mil por hora a organizações e de R$ 10 mil por dia para motoristas responsáveis por interdições.

Os dados das 96 empresas foram computados a partir de fiscalizações promovidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os flagrantes teriam sido registrados nas BRs 282, 116, 101, 230, 040, 050, 226 e 364.

Na lista dos municípios onde ocorreram as irregularidades apontadas estão Xanxerê (SC), Barra Mansa (RJ), Embu (SP), Taboão da Serra (SP), Balneário Camboriú (SC), Seropédica (RJ), Duque de Caxias (RJ), Uberlândia (MG), Candeias do Jamari (RO), Parnamirim (RN), Macaíba (RN) e Marabá (PA).

A pedido da advogada-geral da União, Grace Mendonça, Moraes estabeleceu que, caso não haja pagamento das multas, as empresas poderão ter penhora de bens.

"Não efetuado tempestivamente o pagamento voluntário, será determinada a penhora de bens dos executados, com prioridade para dinheiro depositado em instituição financeira", afirma o ministro na decisão. 

 

Gaúcha ZH

Ler 1991 vezes Última modificação em Sábado, 02 Junho 2018 00:27

Usuários Online

Temos 2059 visitantes e Nenhum membro online

VITRINE PUBLICITÁRIA

Astor Mallmann – Representante Telha Cer…

Colchões Ortobom

Atacadão do Hortifruti

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

Feijoada da APAE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CIDADE

CPI define cargos dos membros e cronogra…

TEMPO

Como será o inverno deste ano? Será que …

ESPECIAL

Inverno começa com chuva no Rio Grande d…

POLÍCIA

Menino de 8 anos é morto com um tiro no …

GERAL

PIS, FGTS, DPVAT e mais 'fortunas' que v…

SEGURANÇA

Golpe no WhatsApp sobre saque do PIS ati…

INTERNACIONAL

Brasileiros que assediaram mulher podem …

DENÚNCIA

Vídeo: homem mata cachorro com enxada, f…

GERAL

Vereadora justifica voto favorável à cri…

ESPECIAL

Homem fica ferido em acidente de trabalh…

ESPECIAL

Vereador diz que recebeu ameaças após cr…

MUNDO

Trump anuncia que Coreia do Norte entreg…

...