Terça, 12 Junho 2018 19:55

Revista que publicou fotos de topless de Kate Middleton pode ser multada em 45 mil euros

Avalie este item
(0 votos)

Procurador quer que publicação francesa receba multa máxima, de quase R$ 200 mil, por fotos feitas durante férias de casal real em 2012. Alegando 'violação grave de privacidade', príncipe e duquesa reivindicavam mais de R$ 6,5 milhões em processo. Kate Middleton conversa com Príncipe William durante casamento de Harry e Meghan Jonathan Brady/pool photo via AP O procurador do caso contra a revista francesa Closer, que publicou em 2012 fotos de Kate, a mulher do príncipe William da Inglaterra, fazendo topless, pediu nesta quarta-feira (13) que a publicação receba a multa máxima prevista por lei, equivalente a 45 mil euros (cerca de R$ 196 mil), em uma audiência de apelação.
A revista francesa de celebridades voltou ao banco dos réus para recorrer da multa à qual foi condenada a pagar por ter publicado em 14 de setembro de 2012 fotos que mostravam Kate e William à beira de uma piscina em uma luxuosa fazenda de Luberon, no sul da França. Na ocasião, a duquesa usava somente a parte de baixo do biquíni. O representante do Ministério Público, Marc Brisset-Foucault, argumentou ao tribunal de apelações de Versalles que a fotografia provocou um "dano absolutamente considerável" ao casal real. Estas fotografias feitas com lente teleobjetiva irritaram a família real britânica e os tabloides do país. Em um julgamento em setembro do ano passado, os diretores da revista foram condenados a uma multa de 45 mil euros (o valor máximo previsto por lei) e os dois fotógrafos que fizeram os cliques a 10 mil euros (cerca de R$ 43 mil) cada um. Ambos negam ter feito as polêmicas fotografias. A Closer foi a primeira revista a publicar essa foto, que depois foi divulgada em outras revistas europeias, como a Chi, na Itália e a Daily Star, na Irlanda. A revista teve que pagar 100 mil euros (R$ 430 mil) em perdas e danos depois que o casal abriu um processo reivindicando 1,5 milhão de euros (R$ 6,55 milhões) pelo o que alegaram ser uma "violação grave de sua privacidade".
Ler 86 vezes

Usuários Online

Temos 2061 visitantes e Nenhum membro online

VITRINE PUBLICITÁRIA

Promoção ZERO GRAU!

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Campeão de audiência

Vende-se prédio comercial em Humaitá

Anuncie aqui

Leitor Repórter

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ESPECIAL

Trator cai em esterqueira no interior de…

ESPECIAL

Bergamoteira surpreende pela grande quan…

TRÂNSITO

Caminhão fica preso em barranco em Tirad…

POLÍCIA

Homem esfaqueado segue internado na UTI …

MUNDO

Com doença terminal, mãe escreve cartas …

POLÍCIA

Bicheiro é abordado pela polícia em Boa …

REGIÃO

Homem morre afogado em rio no Noroeste d…

TRÂNSITO

Casal sobrevive ao ter carro esmagado po…

REGIÃO

Concursos públicos estão abertos em três…

SEGURANÇA

Casal é preso com anabolizantes, abortiv…

SERVIÇO

Bancos não podem descontar valores do PI…

REGIÃO

Homem morre no hospital de Tenente Porte…

...