Domingo, 08 Julho 2018 14:47

Advogado Caio Vieira de Mello assumirá Ministério do Trabalho

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

O da Casa Civil da Presidência da República, ministro Eliseu Padilha, ocupava interinamente o Ministério do Trabalho, no lugar de Helton Yomura, que pediu demissão após ser alvo da Operação Registro Espúrio

Helton Yomura foi afastado do ministério do Trabalho por ordem do STF

Helton Yomura foi afastado do ministério do Trabalho por ordem do STF

Foto: Agência Brasil

O advogado Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello será o novo ministro do Trabalho, informou há pouco o Palácio do Planalto. Segundo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, o presidente Michel Temer dará posse ao novo ministro amanhã (10) no Planalto.

Leia também:Polícia Federal liga Carlos Marun a fraudes no Ministério do Trabalho

No último dia 5, o chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro Eliseu Padilha, assumiu interinamente o Ministério do Trabalho, no lugar de Helton Yomura, que pediu exoneração do cargo após ser um dos alvos da terceira fase da Operação Registro Espúrio, deflagrada pela Polícia Federal (PF).

Em nota à imprensa divulgada na noite de quinta-feira (5), o Palácio do Planalto informou que Temer recebeu e aceitou o pedido de exoneração do ministro do Trabalho. "O presidente agradeceu sua dedicação à frente da pasta", diz a nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

Após novo escândalo, Roberto Jefferson desiste de ministério do Trabalho

Uma das condições para que o PTB apoiasse o impeachment de Dilma Rousseff (PT) era que a legenda ficasse com o ministério do Trabalho. Michel Temer acatou o pedido, mas, após uma série de controvérsias, que resultaram no afastamento do ministro Helton Yomura da pasta pelo Supremo Tribunal Federal, o partido comandado por Roberto Jefferson comunicou ao Planalto que abre mão do ministério, deixando seu futuro à disposição de Temer.

Leia também:PF apreende documentos e R$ 5 mil no gabinete de deputado do PTB

Após deflagrado oescândalo, PTBe Jefferson assinaram uma nota sobre o tema. "Pessoalmente, insisto: não participei de qualquer esquema espúrio no Ministério do Trabalho. E acrescento que minha colaboração restringiu-se a apoio político ao governo para que o partido comandasse a pasta", escreveu o líder da legenda.

Os problemas com a Justiça começaram antes da chegada de Yomura ao ministério.Roberto Jefferson, famoso por seu envolvimento no caso do chamado “mensalão”, pretendia emplacar sua filha, Cristiane Brasil, no cargo. Descobriu-se, contudo, que Brasil tinha dívidas trabalhistas pendentes com seus funcionários, e sucessivas liminares judiciais acabaram a impedindo de assumir a pasta.

O constrangimento gerado pelo caso não foi o bastante para o PTB desistir da pasta. O partido, que curiosamente traz “trabalhista” no nome mas apoiou as reformas de Temer que penalizam o trabalhador, queria manter sua influência no ministério do Trabalho, um dos mais poderosos da Esplanada.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também:Afastado pelo STF, ministro do Trabalho pede demissão do cargo; Padilha assume

Ler 70 vezes

Galeria de Imagens

Usuários Online

Temos 2028 visitantes e Nenhum membro online

.......

VITRINE PUBLICITÁRIA

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

GERAL

Horário de verão pode ser proibido em to…

ESPECIAL

Incêndio de grandes proporções consome r…

JUSTIÇA

Juiz que vendia sentenças via Whatsapp é…

TRÂNSITO

Carreta do Paraguai capota em rodovia no…

TEMPO

Primavera será quente e chuvosa no Rio G…

ESPECIAL

Caminhonete estacionada na rua é furtada…

TRÂNSITO

Carro fica destruído após saída de pista…

CIDADE

Ministério do Trabalho desinterdita frig…

ESPECIAL

Médicos contam como salvaram bebê que na…

TEMPO

Sol e chuva dividem Rio Grande do Sul no…

POLÍCIA

Bandidos são presos após assalto à resid…

POLÍTICA

Datafolha: Bolsonaro segue líder com 28%…