Quarta, 08 Agosto 2018 12:50

Haddad reconhece "situação muito difícil" e diz que não vê Lula como "oráculo"

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Vice na chapa do ex-presidente diz a empresários e investidores que PT não irá "facilitar a vida de adversários jogando a toalha" por candidatura de Lula

Fernando Haddad representou Lula em evento organizado pelo banco BTG Pactual nesta quinta-feira

Fernando Haddad representou Lula em evento organizado pelo banco BTG Pactual nesta quinta-feira

Foto: Ricardo Stuckert

O ex-prefeito ecandidato a vice-presidente na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Haddad (PT),disse nesta quinta-feira (9) que não vê problema em consultar Lula na eventual hipótese de ele próprio vir a se tornar o candidatopetistaà Presidência.O ex-ministro, no entanto, garantiu quenão vê Lula como um "oráculo" capaz de dar respostas para tudo.

"O que o Lula ensina, mais do que a decisão, é o método de decisão. Eu não acho que o Lula tem respostas para os problemas brasileiros de dentro de uma cela ou de dentro de um gabinete. O Lula tem um método de trabalho, que é o de chamar as partes interessadas e, quando o assunto estava maduro, ele tomava a decisão. Eu não vejo o Lula como um oráculo. Ele é uma liderança política que ensina muito a um processo de tomada de decisão com robustez", afirmou Fernando Haddad ao representar o ex-presidente durante evento organizado pelo banco BTG Pactual.

Haddadreconheceu que asituação da candidatura de Lula é "muito difícil", masvoltoua defender que o ex-presidente, preso desde abril em Curitiba, tenha o direito de disputar as eleições.

"A nossa situação é muito difícil, mas nós não vamos facilitar a vida dos nossos adversários jogando a toalha. Nós vamos explorar todas as possibilidade em função do 'casuísmo' com o qual o Lula foi tratado", afirmou.

O vice-candidato disse ainda lamentar a postura do PSDB em relação àcondenaçãode Lula,usando como exemplo (daquilo que ele esperava) sua própria relação com o candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin. Para o petista, "o PSDB fez um péssimo negócio" por não "defender a honra de seu adversário".

"Quando uma pessoa tem uma reputação questionável, você fica sabendo. Se me perguntarem sobre o Alckmin, eu vou dizer que, em quatro anos de convivência, eu nunca vi um empresário sequer sugerir uma conduta equivocada do Alckmin. Eu acho que é assim que se constrói um País", disse Haddad, que lidou diretamente com o tucano durante o período em que um estava à frente da Prefeitura de São Paulo e o outro, do governo estadual.

Fernando Haddad comenta recuperação econômica e reforma da Previdência

Fernando Haddad exaltou método de trabalho de Lula e defendeu sua candidatura à Presidência

Fernando Haddad exaltou método de trabalho de Lula e defendeu sua candidatura à Presidência

Foto: Divulgação

Em sua explanação a empresários e investidores convidados pelo organizador do evento, Fernando Haddad falou sobre o plano da chapa PT-PCdoB para recuperar a economia e destacou mais de uma vez a educação e o crédito como "ferramentas indispensáveis para o combate às desigualdades".

"Estamos em um momento crucial da vida nacional.O Brasil é suficientemente grande e importante para responder a estímulos corretos, recobrar a cofiança dos investidores e definir uma rota de desenvolvimento sustentável com inclusão, com ampliação do mercado de consumo de massa, com expansão do crédito para as famílias e para os investidores",avaliou.

Ainda no tema economia, Haddad propôs "mudar um pouco a composição da carga tributária" para aliviar a cobrança dos mais pobres edefendeu a realização de uma reforma da Previdência, mas em termos diferentes dospropostos pelo governo Michel Temer (MDB).

"A nossa proposta para o ano que vem é tratar dos regimes próprios dePrevidência, que é o problema mais urgente e vai contar com o apoio de prefeitos e governadores. Que vai contar com a compreensão de servidores que não estão recebendo sequer os seus salários. Portanto, é uma agenda que interessa a todos", defendeu o petista.

"Nós entendemos que o próximo presidente não sairá com a força imaginada das urnas. Vamos ter que construir uma agenda em comum. Vamos ter que construir uma agenda inclusive com a oposição, qualquer que seja ela. E, se nós formos bem sucedidos nessa agenda, a economia vai reagir muito prontamente", finalizou Fernando Haddad.

Ler 58 vezes

Galeria de Imagens

Usuários Online

Temos 4646 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

TRÂNSITO

Três vítimas fatais em acidente na BR-28…

ESPECIAL

Criança de 5 anos sofre choque elétrico …

ESPECIAL

Em manifestação pró-Bolsonaro, eleitores…

POLÍCIA

Jovem desaparece após sair de casa em Te…

TRÂNSITO

Acidente deixa dois feridos na ERS-155, …

ESPECIAL

Morre vítima de acidente entre carro e m…

GERAL

Usuários relatam que celulares foram adi…

REGIÃO

Homem morre em acidente com trator no No…

TEMPO

Saiba com será o tempo na próxima semana…

REGIÃO

Homem ficou ferido ao cair de telhado em…

GERAL

TSE abre ação para investigar suspeita c…

ESTADO

Rio Grande do Sul tem 55 vítimas de este…