Quarta, 08 Agosto 2018 18:15

Ministro cita dinheiro recuperado para justificar reajuste de salários no STF Destaque

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Ministro disse que execuções fiscais determinadas por juízes recuperam milhões aos cofres públicos; aumento pode gerar impacto de até R$ 4 bilhões

Ricardo Lewandowski defendeu a proposta de reajuste de 16,38% para os salários dos ministros da Corte

Ricardo Lewandowski defendeu a proposta de reajuste de 16,38% para os salários dos ministros da Corte

Foto: Carlos Moura/SCO/STF - 7.6.2017

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski rebateu nesta quinta-feira (9) a repercussão negativa daproposta de reajuste de 16,38% para os salários dos ministros da Corte.

Ao ser questionado sobre o impacto fiscal do aumento dos salários dos ministros, aprovado na noite de quarta-feira (8), ele respondeu que as execuções fiscais determinadas por juízes recuperam milhões aos cofres públicos.

Com o reajuste, cuja inclusão na previsão orçamentária do Poder Judiciário foi aprovada em sessão administrativa do Supremo, o salário dos ministros da Corte pode passar de R$ 33,7 mil para mais de R$ 39 mil. O aumentoainda precisa serconfirmado em votação no Congresso, para onde a proposta será encaminhada.

Devido ao chamado efeito cascata, uma vez que o salário de ministros do Supremo serve de teto para todo o funcionalismo público, isso pode gerar um impacto de até R$ 4 bilhões aos cofres públicos. Somente no Poder Judiciário, a estimativa de impacto é de R$ 717 milhões.

Confrontado com os números, Lewandowski lembrou o anúncio feito na quarta-feira(8) pelo Ministério Público de que recuperou R$ 1 bilhão para a Petrobras por meio de acordos de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato.

“Portanto, só essa devolução já representou uma quantia muito maior do que aquela que será remanejada no orçamento do Poder Judiciário, isso sem falar nos milhões e milhões que os juízes federais e estaduais recuperam aos cofres públicos em execuções fiscais”, disse o ministro.

Lewandowski foi um dos que votaram a favor do reajuste, juntamente aos ministros Dias Toffoli, próximo presidente do STF; Luiz Fux; Luiz Roberto Barroso; Gilmar Mendes; Marco Aurélio Mello e Alexandre de Moraes.

Congresso deve votar reajuste dos salários dos ministros

Salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal servem de teto para todo o funcionalismo público

Salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal servem de teto para todo o funcionalismo público

Foto: Carlos Moura/SCO/STF - 18.4.18

Nesta quinta-feira, Moraes também justificou seu voto. “Agora o Congresso analisa, vai cruzar os dados. O que a gente não podia era, mais um ano, subtrair do Congresso essa apreciação”, disse o ministro.

Mais cedo, a atual presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, disse estar convencida de que o aumento dos salários dos ministrosnão é o melhor para o País e que não desejaria estar ao lado dos vencedoresna votação que aprovou o reajuste. Também votaram contra a proposta os ministros Edson Fachin, Rosa Weber e Celso de Mello.

Ler 62 vezes Última modificação em Quinta, 09 Agosto 2018 23:43

Galeria de Imagens

Usuários Online

Temos 1573 visitantes e Nenhum membro online

VITRINE PUBLICITÁRIA

Promoção ZERO GRAU!

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Campeão de audiência

Vende-se prédio comercial em Humaitá

Anuncie aqui

Leitor Repórter

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

INTERNACIONAL

Polícia apreende caminhonete registrada …

GERAL

Mulher morre atropelada pelo próprio car…

POLÍCIA

Presos empresários suspeitos de venderem…

ESTADO

Pesquisa Ibope aponta intenção de voto p…

VARIEDADES

Descongestionante nasal vicia? Confira o…

INUSITADO

Família depreda o próprio carro após men…

ESPECIAL

Ministério do Trabalho interdita Unidade…

REGIÃO

Suspeitos de roubo a ônibus são presos e…

POLÍCIA

Máquinas caça-níqueis são apreendidas na…

TRÂNSITO

Caminhão é flagrado com mais de 8 tonela…

ESTADO

Menores pintam parada, muros e escola qu…

ESPECIAL

Temperatura sobe e chuva retorna no domi…

...