Segunda, 08 Outubro 2018 16:59

Lula pediu para Haddad não visitá-lo mais, diz Gleisi Hoffmann

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Segundo a presidente nacional do PT, ex-presidente disse para Haddad ir fazer campanha; presidenciável foi a Curitiba na última segunda-feira (8)

Segundo Gleisi Hoffmann, ex-presidente Lula teria dito para que Fernando Haddad faça campanha

Segundo Gleisi Hoffmann, ex-presidente Lula teria dito para que Fernando Haddad faça campanha

Foto: Claudio Kbene

Atendendo a um pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) não deve mais visitá-lo em Curitiba na etapa final da campanha. A informação foi divulgada nesta terça-feira (9) pela presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR).

Lula está preso desde abril na carceragem da Polícia Federal após condenação em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). Ir a Curitiba nas segundas-feiras era parte da rotina de Fernando Haddad no primeiro turno, como ocorreu no dia 8 logo após as eleições.

De acordo comGleisi, foi o próprio Lula que determinou a Haddad para concentrar os esforços na campanha. “'Manda o Haddad fazer campanha, não precisa mais vir aqui'”, disse a presidente do PT repetindo a frase que teria sido dita pelo ex-presidente.

“Estamos com um curto espaço de tempo. Só temos mais duas semanas”, justificou sobre a orientação do ex-presidente.A senadora participou de reunião do diretório nacional da legenda e governadores.

Haddad passou a manhã desta terça-feira (9) reunido com líderes do PT em São Paulo. À tarde, ele recebeu o apoio dos governadores do Maranhão Flávio Dino (PCdoB);do Piauí, Wellington Dias (PT); da Bahia, Rui Costa (PT);de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) e do Ceará, Camilo Santana (PT).

Segundo Haddad, durante a reunião com os governadores, foram discutidas propostas “sensíveis ao Nordeste”, como a questão da segurança pública e da saúde. “A Polícia Federal vai passar a atuar no próximo governo contra o crime organizado nacionalmente. A ideia é que nós avancemos no programa que foi apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral [TSE] com a ideia de que parte grande do crime hoje tem organizações nacionais”, apontou. No tema da saúde, ele disse que vai criar policlínicas para oferta de serviços de especialidade e cirurgias eletivas.

O candidato do PT reuniu-se ainda como candidato pelo PSOL, Guilherme Boulos, que oficializou apoio no segundo turno. “É o primeiro partido que a gente tem o apoio formal e encontro com Fernando Haddad”, enfatizou Gleisi.

Ler 55 vezes

Galeria de Imagens

Usuários Online

Temos 38755 visitantes e 4 membros online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ESPORTES

Geromel vê Brasileirão ficar mais difíci…

FAMOSOS

Globo comunista ou golpista? Emissora su…

MODA

Bolsa de palha é o acessório que vai dom…

SEXO

Quando preciso começar a pensar em inova…

BICHOS

Vídeo - Píton enorme cai do teto de banc…

VARIEDADES

Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros q…

EDUCAÇÃO

Leveza e encantamento marcam Encontro Re…

DIVERSOS

Definidos os finalistas do campeonato de…

ESPECIAL

Governo confirma início do horário de ve…

GERAL

Divulgada pesquisa Ibope do segundo turn…

ESTADO

Novos pardais das rodovias federais do R…

POLÍCIA

Bebê de nove meses é encontrado morto no…