Quarta, 10 Outubro 2018 14:33

Sair da obesidade com exercícios e dieta é possível, mas exige paciência

Avalie este item
(0 votos)
Matheus durante processo de emagrecimento, que levou 8 meses
 

Matheus durante processo de emagrecimento, que levou 8 meses

Arquivo pessoal

O publicitário Matheus Meneghim, 22, estava entre os 11 milhões de jovens com obesidade no Brasil. Apesar dos riscos à saúde associados à condição, o que mais lhe afetava era a discriminação social, que lhe serviu de motivação para conseguir sair dessa estatística.

"Meus colegas me zoavam e uma menina me dispensou para dançar com ela em uma festa de debutante porque eu era gordo. Foi meu limite para decidir emagrecer”, conta.

Exercícios e reeducação alimentar funcionaram no caso de Meneghim, que hoje está dentro do IMC considerado saudável. "Não foi de um dia para o outro. Foram oito meses para perder 16 kg", afirma.

Ele explica que reduziu a quantidade de comida que ingeria diariamente, sem excluir tipos de alimentos, e incrementou os esportes - fazia natação, futebol e corrida. 

A obesidade é uma doença crônica que afeta quase 20% dos brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. "Houve uma explosão de obesidade no Brasil. Em 10 anos, a taxa de obesos cresceu 60% e a doença virou uma grande epidemia", afirma a endocrinologista Cíntia Cercatto, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Leia também: Quase metade das crianças brasileiras serão obesas em 2022

Pessoas obesas são as que apresentam Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 30. O IMC é calculado pela altura multiplicada por ela mesma, dividindo o peso por esse resultado. IMC entre 18,5 e 24,9 é considerado saudável; entre 25 e 29,9 sobrepeso e, a partir de 30, obesidade. Esse é o padrão utilizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

A endocrinologista afirma que cálculo do IMC pode não ser suficiente para indicar uma pessoa obesa. "Os cálculos do IMC não são completos porque, em alguns casos, podem indicar obesidade, mas a pessoa tem pouca gordura e bastante massa magra [músculos]. O índice também varia conforme idade e sexo da pessoa", diz.

Ela recomenda que seja feita uma avaliação mais ampla que inclui exame de medidas de prega cutânea, exame de bioimpedância ou o exame de dessintometria.

Leia também: Pesquisa mostra que obesos sofrem discriminação no Brasil

A American Medical Association declara a obesidade uma doença. Isso porque está associada a problemas cardiovasculares, aumento da glicemia, que causa diabetes, e a osteoratrose, que afeta os joelhos. Segundo a médica, a cada quilograma que a pessoa ganha, o joelho sente cinco vezes mais, sobrecarregando sua capacidade. 

Entre outros problemas de saúde estão a apineia do sono, a alta relação com câncer de útero, fígado, pâncreas e intestino, e a atla relação com Alzheimer, segundo a endocrinologista. A obesidade também causa síndrome do ovário policístico, irregularidade menstrual e maior secreção de hormônios masculinos entre as mulheres.

Leia também: Governo elabora primeiro protocolo para tratamento de obesidade

De acordo com a médica, o processo de emagrecimento começa com o reconhecimento do paciente de que a obesidade é uma doença, que ele não tem culpa disso e que deve procurar ajuda.

"Sempre fui uma criança gordinha, mas foi o médico que diagnosticou: você está obeso", relembra Meneghim. "É muito difícil, você fica ansioso com o resultado. Quando os resultados começaram a aparecer, a motivação foi maior ainda", afirma.

A endocrinologista ressalta que é importante não desistir. "O resultado pode demorar a aparecer ou pode parecer estagnar, mas é importante não desistir. Não precisa chegar ao peso ideal, pode ser o sobrepeso, mas só de emagrecer, a saúde já apresentará melhora", afirma.

Leia também: Universidades terão incentivo em dinheiro para controlar obesidade

A médica lista que, ao perder 2,5% do peso, a fertilidade já melhora. Ao perder 5%, a glicemia apresenta redução, e a perda de 16% do peso reduz a mortalidade.

Ela explica que dietas altamente restritivas não são a solução. "O ideal é fugir dessas dietas e de cortar certos tipos de alimento, pois, nesses casos, haverá deficiência de vitaminas", afirma.

A melhor solução, segundo ela, é adaptar a dieta aos hábitos do paciente, sem nenhum radicalismo e com pequenas mudanças para ter uma vida saúdavel. "O paciente até pode comer um doce, tomar refrigerante ou alimentos processados, mas o consumo não esporádico tem de ser exceção, e não regra", diz.

Foi o que fez Meneghim. "Os finais de semana são os mais difíceis, porque sempre tem alguma festa e, se a gente fala toda vez que só um não vai fazer mal, chega uma hora que faz", conta.

A médica afirma que a cada quilo perdido, o corpo responde pedindo pelo menos 100 calorias. Para driblar essa resposta fisiológica, ela recomenda a prática de atividades físicas, que ajuda a inibir essa necessidade, começar a alimentação com salada, pois ela ajuda a iniciar o processo de saciedade, fazer pratos volumosos com alimentos pouco calóricos e evitar ingerir líquidos durante a refeição, pois ele faz a pessoa sentir fome novamente mais rápido por ajudar a acelerar a digestão.

Ela frisa que cirurgia bariátrica não deve ser a primeira opção. "Ela deve ser utilizada como recurso recomendado por médico após dietas, exercícios e remédios não terem apresentado resultado", finaliza.

Cientistas descobrem planta que ajuda a combater a obesidade. Veja:

Ler 34 vezes Última modificação em Quinta, 11 Outubro 2018 21:37

Usuários Online

Temos 38422 visitantes e 4 membros online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ESPORTES

Geromel vê Brasileirão ficar mais difíci…

FAMOSOS

Globo comunista ou golpista? Emissora su…

MODA

Bolsa de palha é o acessório que vai dom…

SEXO

Quando preciso começar a pensar em inova…

BICHOS

Vídeo - Píton enorme cai do teto de banc…

VARIEDADES

Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros q…

EDUCAÇÃO

Leveza e encantamento marcam Encontro Re…

DIVERSOS

Definidos os finalistas do campeonato de…

ESPECIAL

Governo confirma início do horário de ve…

GERAL

Divulgada pesquisa Ibope do segundo turn…

ESTADO

Novos pardais das rodovias federais do R…

POLÍCIA

Bebê de nove meses é encontrado morto no…