Terça, 04 Dezembro 2018 08:42

Dodge participa de evento sobre violência contra a mulher e cobra solução do assassinato de Marielle

Avalie este item
(0 votos)

PGR afirmou que morte da vereadora é uma expressão da violência contra a mulher negra; órgãos assinaram acordo para implementar formulário de prevenção a crimes desta natureza. O ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha; o presidente do STF, Dias Toffoli; a procuradora geral da República, Raquel Dodge; e o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, durante evento sobre violência contra a mulher Luiz Felipe Barbiéri/G1 A procuradora geral da República (PGR), Raquel Dodge, cobrou nesta quarta-feira (5) o esclarecimento do assassinato da ativista e vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), morta a tiros no Rio de Janeiro em março deste ano.
A PGR discursou na abertura do 2º Seminário Internacional Brasil-União Europeia, que discute caminhos para a prevenção da violência doméstica contra a mulher. Atualmente, as investigações da morte de Marille e do seu motorista, Anderson Pedro Gomes, são conduzidas pela Delegacia de Homicídios da Capital (DH) e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Em outra frente, a Polícia Federal vai abrir investiga a suposta existência de uma organização criminosa que estaria impedindo a elucidação do assassinato da vereadora “[Marielle] emprestou a sua voz em favor de populações mais excluídas e seu assassinato é uma expressão da violência contra a mulher, contra a mulher negra que quer ocupar espaço de poder no nosso país e, portanto, necessita ser o quanto antes esclarecido”, disse Dodge. “Gostaria de que nós não nos esquecêssemos de lembrar do assassinato de Marielle Franco nessa oportunidade, porque Marielle foi uma importante ativista e defensora dos direitos humanos no seu estado”, complementou a procuradora. Também participaram da solenidade o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e os ministros Aloysio Nunes (Relações Exteriores) e Gustavo Rocha (Direitos Humanos). Pessoas passam por uma homenagem à Marielle Franco na escadaria da rua Cristiano Viana, no bairro de Pinheiros, em São Paulo Nelso Antonie/Estadão Conteúdo Violência contra a mulher O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Ministério dos Direitos Humanos (MDH) assinaram um acordo de cooperação técnica para implementar o Formulário Nacional de Avaliação de Risco e Proteção à Vida, chamado de “Frida”. O objetivo é a prevenção e o enfrentamento de crimes praticados no contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher. Segundo o termo, as informações colhidas serão usadas em inquéritos policiais que apurarem crimes dessa natureza, dando subsídio à atuação do Poder Judiciário e aos órgãos responsáveis pelas investigações. O acordo estabelece a criação de um grupo de trabalho para a discussão de um formulário nacional de avaliação de risco e a implementação de projetos pilotos para testar sua aplicação. O colegiado terá 120 dias para elaborar um plano de trabalho e um cronograma de atividades.
Ler 40 vezes

Galeria de Imagens

Usuários Online

Temos 5147 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

POLÍCIA

Operação Hot Stamp cumpre mandados em Te…

GERAL

Gasolina já é vendida a R$ 4,45 em cidad…

TRÂNSITO

Radar com alcance de 1,2 km e drones ser…

ESPECIAL

Chuva avança para boa parte do Estado e …

POLÍCIA

Dupla é presa após agredir casal de idos…

SEGURANÇA

Em 12 dias, 14 bandidos morrem em confro…

CIDADE

Vídeo - Cante e Encante se apresenta no …

GERAL

Samu Avançado está suspenso em cidade no…

ESTADO

Banrisul abre empréstimo de 13º para ser…

ESPECIAL

Homem morre após ser esfaqueado pela com…

ESPECIAL

Mercadão dos Óculos inaugura loja no cen…

DIVERSOS

12ª Noite Cultural Natalina em Tiradente…