Terça, 04 Dezembro 2018 07:47

Citação a Onyx em delação não é 'elogiável', mas não prejudica governo, avalia general Heleno

Avalie este item
(0 votos)

O general da reserva Augusto Heleno, futuro ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil O futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, avaliou ao blog nesta quarta-feira (5) que a citação de Onyx Lorenzoni, futuro titular da Casa Civil, na delação da JBS não é "elogiável", mas não prejudica a futura gestão. Nesta terça-feira, o ministro do STF Luiz Edson Fachin mandou fatiar a delação de executivos do grupo J&F e mandar instaurar procedimentos individuais de apuração de citações a dez parlamentares nos depoimentos dos delatores. Entre os parlamentares, está Onyx.
Questionado se a imagem do Palácio do Planalto poderia ficar comprometida após o caso, Heleno respondeu: "Olha, não é elogiável. Mas não considero prejudicial. O próprio ministro disse que é uma boa oportunidade para se explicar, o presidente também falou. Agora, não é uma notícia alvissareira". Segundo a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, os dez citados na delação da JBS teriam sido beneficiados com caixa dois (doações não declaradas à Justiça), entre 2010 e 2014, de acordo com os delatores e tabela apresentada ao Supremo. Heleno, um dos mais árduos defensores do combate à corrupção no governo Bolsonaro, disse que é preciso "aguardar os acontecimentos" e que "ainda não tem prova concreta". Falou também sobre as declarações do futuro ministro da Justila, Sérgio Moro, que saiu em defesa de Onyx e declarou que o futuro colega de ministério tem a sua "confiança pessoal". "Ele tem credibilidade total, a palavra dele vale muito. Moro tem mais consistência para dizer e aprofundar sobre a delação. A declaração [de Moro] é atenuante", declarou o general. Heleno, assim como Mourão e Onyx, vai ocupar um gabinete no Palácio do Planalto, no mesmo prédio que será utilizado por Bolsonaro. Mourão O vice-presidente eleito, general Mourão, disse ao blog que "no momento", o caso de Onyx "não prejudica" o governo Bolsonaro, mas que é preciso aguardar a investigação. "Por ora, não. Por ora porque é preciso aguardar o aprofundamento da investigação", disse Mourão. Ele disse concordar com a avaliação de que a defesa de Moro a Onyx dá "credibilidade" ao futuro ministro da Casa Civil. Editoria de Arte / G1
Ler 68 vezes

Galeria de Imagens

Usuários do Dia

Temos 16120 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ESPECIAL

Detentos jurados de morte são transferid…

POLÍCIA

Homem é preso por contrabando de cigarro…

POLÍCIA

Jovem é apreendido por tráfico de drogas…

JUSTIÇA

Relação de eleitores faltosos aos três ú…

SEXO

Orgasmo pode ser atingido mais facilment…

ESPECIAL

Homem que se afogou em açude segue inter…

ESPECIAL

Homem procurado da Justiça é preso na ci…

POLÍCIA

Jovem desaparecido é localizado às marge…

INUSITADO

Veículo invade estabelecimento comercial…

MUNDO

Casal de velhinhos comete suicídio para …

POLÍCIA

Imagens mostram atropelamento de catador…

REGIÃO

Sine oferece mais de 70 vagas de emprego…