Sexta, 11 Janeiro 2019 03:00

PGR pede ao Supremo mais 60 dias para Polícia Federal descobrir quem é 'Glutão'

Avalie este item
(0 votos)

Investigação tenta identificar destinatário com esse codinome que teria recebido R$ 3 milhões de R$ 8,5 milhões em propina da Odebrecht destinada a cinco políticos. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, durante audiência pública em Brasília, em setembro do ano passado Leonardo Prado/Secom/PGR A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu na quinta-feira (10) ao Supremo Tribunal Federal (STF) mais 60 dias de prazo para as investigações do inquérito da Polícia Federal (PF) que, entre outras finalidades, tenta identificar quem é "Glutão", suposto destinatário de propina paga pela empreiteira Odebrecht. Reportagem do blog de Andreia Sadi revelou, no fim de dezembro, a busca por esse destinatário, cujo codinome foi revelado por um delator que afirmou, porém, não lembrar de quem se trata.
Segundo as planilhas da empreiteira, ele teria recebido R$ 3 milhões em Brasília em maio de 2012. O inquérito apura repasses de R$ 8,5 milhões a cinco pessoas – os senadores Romero Jucá (MDB-RR) e Renan Calheiros (MDB-RR) e os ex-senadores Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e Gim Argello (sem partido-DF), além de "Glutão". Jucá, Renan e Argello negam que tenham recebido propina para aprovar projeto. Delcídio afirma que pediu ajuda à empreiteira para ajudar prefeitos. Eles são suspeitos de receber propina pela aprovação do projeto de resolução do Senado 72/2010, que limitou a concessão de benefícios fiscais pelos estados em portos a produtos importados. A beneficiária seria a Braskem, uma das empresas do grupo Odebrecht. Em documento apresentado ao Supremo, Dodge reiterou pedido da Polícia Federal de 60 dias de prazo para a conclusão das investigações. Como o pedido chegou ao Supremo em meio ao recesso do Judiciário, foi remetido à Presidência do tribunal, a quem cabe definir casos urgentes. O relator do caso no Supremo é o ministro Luiz Edson Fachin, que cuida da Lava Jato no tribunal. A Presidência poderá analisar a prorrogação da apuração ou deixar a questão para o relator decidir em fevereiro. Lava-Jato tenta identificar suspeito de receber R$3 milhões em propina da Odebrecht Segundo Dodge, é preciso cruzar dados de perícias com provas coletadas na Operação Armistício, de 8 de novembro e que recolheu informações de supostos intermediários de Jucá, Renan e Gim Argello. "O trabalho policial concentra-se nesse momento na exploração e na análise de todo o material apreendido nos autos da Ação Cautelar 4400, na qual foi deferida a medida de busca e apreensão nos endereços das pessoas físicas e jurídicas mencionadas nos presentes autos", afirmou a procuradora. Segundo ela, a investigação até o momento "permitiu que importantes passos fossem dados em direção à elucidação dos fatos investigados". "O completo esclarecimento dos fatos ainda demanda novas diligências e, assim, a continuidade das investigações", pediu. Dodge disse ao Supremo que, desde a última prorrogação do inquérito, o único documento juntado ao processo foi o depoimento do executivo Cláudio Mello Filho. Mas ela afirmou que o depoimento "trouxe importante contribuição (...) uma vez que o colaborador confirmou as conclusões a que chegaram o Ministério Público Federal e a Polícia Judiciária, em relação aos codinomes atribuídos aos parlamentares investigados". No depoimento, Cláudio Mello confirmou a identidade de quatro políticos, mas disse que não se lembrava quem era "Glutão" e que se comprometia a verificar e prestar esclarecimentos.
Ler 90 vezes

Galeria de Imagens

Usuários do Dia

Temos 67499 visitantes e Nenhum membro online

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

GERAL

Surto de vírus deixa várias pessoas doen…

POLÍCIA

Mais um foragido é preso no centro da ci…

TEMPO

Outono no RS deve ser marcado por La Niñ…

REGIÃO

Homem morre de choque elétrico ao usar l…

ESTADO

Ameaças de ataque contra escola colocam …

CIDADE

Ex-aluno do Ipiranga é aprovado em seis …

REGIÃO

Construção do Hospital Regional já tem e…

ESPECIAL

Interposto recurso para aumentar a pena …

ESPECIAL

Sine de Três Passos começa a semana com …

GERAL

CPF passará a valer como documento único

ESPECIAL

Preso mais um acusado de latrocínio na c…

TRÂNSITO

Motorista morre eletrocutado após aciden…