Quarta, 09 Janeiro 2019 14:56

Mal-estar e vômitos? Seu cachorro pode estar com gastroenterite canina

Avalie este item
(0 votos)

A gastroenterite canina é uma inflamação no aparelho digestivo que impede a absorção correta dos alimentos e da água. Esse problema é bastante comum, afetando inclusive os seres humanos. Pode ser simples e passageiro ou demandar mais cuidados dependendo do estado nutricional e idade do cachorro.

Leia também: Cachorro vomitando? Saiba as possíveis causas e o que precisa ser feito

As causas da gastroenterite canina não são fáceis de detectar. Em geral, a ingestão de comida em mau estado e de plantas tóxicas são os principais responsáveis. Consumo de água contaminada, comer lixo e objetos não comestíveis, alguns medicamentos, contato com outro cachorro doente e infecção viral, fúngica ou bacteriana também provocam essa doença.

Apesar disso, muitas vezes não é possível descobrir com exatidão a causa da inflamação, que pode ser inúmeras. Por sorte a gastroenterite não é uma doença perigosa. Cachorros que a contraem sofrem durante cerca de dois dias e logo se recuperam.

Sintomas da gastroenterite canina

Os sinais clínicos mais comuns da gastroenterite canina são vômitos, mal-estar e diarreia, podendo ou não estar acompanhados de outros sintomas
reprodução shutterstock
Os sinais clínicos mais comuns da gastroenterite canina são vômitos, mal-estar e diarreia, podendo ou não estar acompanhados de outros sintomas

Os sinais clínicos mais comuns dessa doença são vômitos, mal-estar e diarreia, podendo ou não estar acompanhados de outros sintomas, como letargia, apatia, caibras abdominais, perda de apetite e sede.

É normal que o canino vomite e evacue de vez em quando para eliminar o conteúdo ingerido. Porém, quando os sintomas se tornam constante e frequente, e as fezes são eliminadas com sangue, é preciso agir para evitar uma desidratação. A falta de tratamento pode causar a morte do animal.

Opções de tratamento

Em alguns casos, é necessário a administração de medicamentos para ajudar no tratamento, por exemplo, interromper o vômito, diminuir as dores ou combater o causador da doenças
reprodução shutterstock
Em alguns casos, é necessário a administração de medicamentos para ajudar no tratamento, por exemplo, interromper o vômito, diminuir as dores ou combater o causador da doenças

Como as causas do problema são muitas, o diagnóstico é bastante difícil. Em casos mais graves é necessário recorrer ao ultrassom, à endoscopia, aos exames de fezes, sangue, urina e às radiografias para descobrir.

Leia também: Cachorro vomitando amarelo? Saiba por quê

Em relação ao tratamento, é importante saber que a gastroenterite não tem cura, mas é possível aliviar os sintomas. Casos mais leves podem ser resolvidos em casa, pois é basicamente fazer o trato gastrointestinal descansar para permitir a cura da irritação local.

Em situações assim, recomenda-se jejum e muita hidratação. Independente do que provocou os vômitos, não ofereça qualquer comida ao canino durante 24 horas. Esse período irá ajudar o estômago descansar e parar de regurgitar. Não retire a água nesse período, apenas os alimentos. Mantenha o jejum se o animal continuar vomitando.

Passado às 24 horas, comece oferecendo comida aos poucos e em pequenas quantidades. É importante não forçar o estômago durante a recuperação, por isso, opte por alimentos estratégicos, como canja de galinha e probióticos para repor a flora intestinal. Após 2 ou 3 dias, provavelmente o peludo estará comendo como antes.

Em relação à hidratação, é essencial oferecer bastante água para repor todo o líquido e sais minerais perdidos durante o vômito e diarreia. Mantenha o bebedouro do bichinho sempre com água limpa e fresca. Você pode também oferecer bebida isotônica diluída na água para acelerar a reidratação.

Uma dica interessante é oferecer alimentos que tenha bastante líquido na composição, como sopa e frutas. Além de serem leves e matarem a fome, ajudam no combate à desidratação. Consulte um veterinário sobre essas mudanças na dieta.

Em alguns casos, é necessário também a administração de medicamentos para auxiliar no tratamento, por exemplo, interromper o vômito, diminuir as dores ou combater o causador da doenças, por exemplo, parasitas.

É importante recorrer ao veterinário quando os sinais de gastroenterite se manifestarem, mas principalmente se sintomas se agravarem. Sangue durante as regurgitações e evacuações, vômitos e diarreia por mais de 2 dias e não melhora do quadro são situações que merecem atendimento imediato. Além disso, se seu cão é filhote, uma inflamação assim é muito perigosa.

A rápida resolução do problema pode impedir várias complicações, como a desidratação, desnutrição e morte do canino.

Prevenção

As causas da gastroenterite canina não são fáceis de detectar. Em geral, a ingestão de comida em mau estado e de plantas tóxicas são os principais responsáveis
reprodução shutterstock
As causas da gastroenterite canina não são fáceis de detectar. Em geral, a ingestão de comida em mau estado e de plantas tóxicas são os principais responsáveis

Leia também: Podemos incluir sopa na alimentação canina?

Prevenir a gastroenterite canina é relativamente simples. Basta oferecer uma dieta adequada, manter as vacinas em dia e vermifugar o animal quando necessário. Impeça que ele tenha acesso ao lixo, restos de comida e outras porcarias largadas no chão. Mantenha o ambiente da casa sempre limpo, dê banho no pet regularmente e controle a infestação de pulgas e parasitas.

Ler 87 vezes

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ESTADO

Médico que rifou carro para ajudar funci…

ESPECIAL

Tensão aumenta e há risco de confronto n…

ESPECIAL

Prefeitura abre concurso público e proce…

ESPECIAL

Homem é socorrido após acidente de traba…

POLÍCIA

Preso escondia nove celulares, isqueiro…

INUSITADO

Agricultor colhe melancia com 30 kg no N…

GERAL

Gerente de banco se senta no chão para a…

TRÂNSITO

Funcionária de universidade morre em aci…

TRÂNSITO

Motorista de ônibus fica preso às ferrag…

POLÍCIA

Polícia Civil encontra corpo de caminhon…

GERAL

Vídeo - Casal agride catador no centro d…

SEGURANÇA

PRF amplia fiscalização com o uso de dro…