Sexta, 12 Abril 2019 04:00

Entenda como a interferência de Bolsonaro na Petrobras abalou o governo Destaque

Avalie este item
(0 votos)

Caminhoneiros seguem com pre
Caminhoneiros seguem com preo do diesel sem aumento, mas ordem de Bolsonaro no foi unnime nem entre os integrantes da categoria(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press - 26/5/18)

O presidente Jair Bolsonaro mergulhou o governo em uma nova polmica. Dessa vez, com os agentes econmicos. O chefe do Palcio do Planalto ligou na quinta-feira para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, determinando que segurasse o reajuste do leo diesel anunciado na tarde daquele dia, de 5,7%. A ordem repercutiu mal nos mercados e provocou a queda de 7,75% no valor das aes preferenciais da estatal (Leia na matria abaixo).
A classe poltica tambm se manifestou e cobrou coerncia do liberalismo econmico defendido pelo governo na prtica, e no apenas no discurso, uma vez que a ao do presidente da Repblica representou uma interferncia direta em uma deciso estratgica. A medida, no entanto, atenuou o clima de revolta entre caminhoneiros, que discutem uma nova paralisao.

A controversa deciso de Bolsonaro no coloca o governo diretamente em uma crise, avaliam interlocutores do presidente. De qualquer forma, percebendo as insatisfaes generalizadas, convocou ainda ontem uma reunio interministerial para fazer o diagnstico da situao e analisar a melhor maneira de evitar que o desconforto se alastre e, a sim, insira o governo em um cenrio de instabilidade poltico-econmica.

Foram convocadas duas reunies. Na primeira, reuniu-se com os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, da Defesa, Fernando Azevedo, de Minas e Energia, Bento Albuquerque, de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, da Secretaria-Geral, Floriano Peixoto, e da Secretaria de Governo, Santos Cruz. Na segunda, conversou a ss com Azevedo e o ministro do Gabinete de Segurana Institucional (GSI), Augusto Heleno, chefe da pasta que tem por funo prevenir a ocorrncia de crises e articular o gerenciamento delas.

As reunies definiram um novo encontro para tera-feira, a fim de continuar debatendo as aes decisrias sobre o processo. Participaro ministros da rea tcnica, como Albuquerque, e o da Infraestrutura, Tarcsio de Freitas, bem como tcnicos da Petrobras. O governo, no entanto, descarta que os encontros sejam uma forma de interveno. “O senhor presidente entende que a Petrobras, uma empresa de capital aberto, sujeita s regras de mercado, no deve sofrer interferncia poltica em sua gesto”, sustentou o porta-voz da Presidncia, Otvio Rgo Barros.

O porta-voz reconhece que nunca se discutiu poltica de preos e que, justamente por isso, o governo se prope a no impor interveno, apenas buscar dilogo e identificar aspectos tcnicos para a tomada da deciso sobre a poltica de reajustes feita pela Petrobras aos combustveis. O governo tem pressa, porque a presso poltica j est em ebulio.

Interveno


O presidente nacional do MDB, Romero Juc, advertiu que a interveno na poltica de preos da estatal no uma ao que fortalea a empresa. “J vimos isso no passado e o resultado todos ns sabemos. Essa no uma ao liberal, consentnea com o discurso eleitoral do governo. preciso pensar”, declarou, no Twitter. O deputado Vinicius Poit (Novo-SP) entende que a alta de preos nos combustveis realmente algo que pega no bolso de todos, mas avalia que no o populismo econmico e o intervencionismo que devem entrar em cena. “Aqui, a soluo caminha por mais concorrncia e privatizao da Petrobras do que canetada segurando preos”, ponderou.

A interveno feita por Bolsonaro — que teria sido sugerida por Lorenzoni — lembra o congelamento de preos no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, que represou o reajuste da gasolina quando o preo do barril de petrleo subia no mercado internacional. O presidente da Repblica se defendeu. Admitiu ter ligado para Castello Branco e disse que no vai ser intervencionista e fazer prticas que “fizeram no passado”. “Mas quero os nmeros da Petrobras para me esclarecer por que 5,7% de reajuste, quando a inflao deste ano est projetada para menos de 5%. Se me convencerem, tudo bem. Se no me convencerem, tudo bem”, disse ontem, quando alfinetou Dilma e, mais uma vez, usou o argumento de praxe de que no economista. “Quem entendia de economia afundou o Brasil, est certo? Os entendidos afundaram o Brasil”, enfatizou.

O presidente admite ter tomado a medida como uma forma de prevenir uma nova paralisao de caminhoneiros. Ivar Luiz Schmidt, lder do Comando Nacional do Transporte, reconhece que a deciso possa ter evitado um novo movimento, mas avalia que o governo ainda no sabe a melhor maneira de agir em relao categoria. “Como brasileiro, acho que foi uma deciso equivocada. Esse aumento evitado na quinta pode ser maior depois por conta disso. H outras polticas que podem ser adotadas para melhorar nossa situao”, argumentou. O caminhoneiro Wallace Landim, conhecido como “Choro”, outro lder da categoria, limitou-se a agradecer. “Isso prova que, mais uma vez, o presidente est do nosso lado”, ponderou.
Perda de R$ 32,4 bilhes

Na Bovespa, investidores n
Na Bovespa, investidores no gostaram da interveno do governo(foto: Miguel Schincariol/AFP - 24/8/15)


Ao ressuscitar a prtica da ex-presidente Dilma Rousseff, de segurar os preos do combustvel, a interveno do presidente Jair Bolsonaro na Petrobras abalou o mercado, a estatal e o setor de combustveis. Ontem, a petroleira perdeu R$ 32,4 bilhes em valor com a queda das aes. As ordinrias despencaram 8,54% e as preferenciais caram 7,75%.

A medida vai contra a agenda liberal do ministro da Economia, Paulo Guedes — que, de Washington, disse desconhecer o assunto. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, reconheceu que os liberais defendem a menor interveno possvel no controle de preos. Para o economista Alexandre Esprito Santo, da rama, a interveno, se no for bem explicada pelo governo, vai na contramo da proposta de liberalismo que elegeu Bolsonaro. “Foi um baita rudo, talvez um dos piores dos 100 dias de governo, potencializado pelo vencimento das opes na segunda-feira”, assinalou.

De acordo com o economista da BlueMetrix Ativos, Renan Silva, o movimento no nada saudvel. “No o que o mercado quer ouvir, os investidores esto sensveis a esse tipo notcia”, destacou. O dlar fechou em R$ 3,89, com alta de 0,83%, tambm consequncia da deciso de Bolsonaro, segundo o diretor da Mirae Asset, Pablo Spyer. “Aumentou a percepo de risco na viso dos investidores estrangeiros”, avaliou. No entender do economista-chefe da Ativa Investimentos, Carlos Thadeu Filho, o impacto foi grande, mas “menos pior” do que uma eventual paralisao dos caminhoneiros. “Uma greve pode tirar 1% do Produto Interno Bruto (PIB) de um ano j complicado. Ele optou corretamente”, opinou.

Para o presidente da Associao Brasileira dos Importadores de Combustveis (Abicom), Srgio Arajo, a interveno piora as condies de competitividade do setor. “No nosso clculo, a defasagem de R$ 0,14. O reajuste da Petrobras, de R$ 0,12, ainda seria pouco”, disse. Os associados esto com operaes paralisadas, porque a estatal pratica preos abaixo da importao. “Dos nove, a metade no importou nem um litro este ano”, lamentou.

A interferncia tambm cria insegurana regulatria e jurdica, segundo o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (Cbie), Adriano Pires. “Est na hora de o governo usar criatividade para reduzir a volatilidade do petrleo, criar um fundo de estabilizao, imposto flexvel, ou chamar os governadores para mostrar que as alquotas de ICMS so absurdas”, sugeriu. Com a suspenso do reajuste, Pires calcula que a Petrobras perder R$ 400 milhes por ms. Paulo Tavares, presidente do Sindicombustveis-DF, defendeu a reviso do modelo de reajustes. “A Petrobras tem 75% dos custos em reais e pratica 100% atrelado ao dlar”, afirmou. Presente em um encontro nacional setorial, Tavares comentou que todos os dirigentes ficaram surpresos com a interveno.

Procurada, a Petrobras enviou uma declarao do presidente da companhia, Roberto Castello Branco: “Recebi ontem, no fim do dia, uma ligao telefnica do presidente Bolsonaro me alertando sobre os riscos do aumento do preo do diesel. Considerei legtima a preocupao do presidente. A Petrobras decidiu, ento, suspender, por alguns poucos dias, o reajuste. Reitero que a empresa completamente autnoma para a tomada de decises”.
Ler 119 vezes

Galeria de Imagens

Dra Carin Bogado Petry

Usuários do Dia

Temos 4824 visitantes e Nenhum membro online

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

INUSITADO

Mulher flagra marido com amiga na cama e…

ESPECIAL

Veículo sai da pista e deixa três ferido…

REGIÃO

Quatro grandes feiras prometem atrair gr…

SEGURANÇA

PRF faz operação especial nas rodovias p…

TRÂNSITO

Grave acidente deixa feridos na BR-285, …

SEGURANÇA

Mulher procurada da Justiça é presa em S…

TEMPO

Feriadão começa com sol e termina com te…

ESPECIAL

Três homens são presos por tráfico inter…

ESPECIAL

Flagrante de crime ambiental no rio Urug…

DICAS

Já garantiu o seu peixe para a Semana Sa…

REGIÃO

Municípios se unem para construção de po…

SEGURANÇA

Homem acusado de estuprar criança de 10 …