Segunda, 09 Janeiro 2017 00:45

Acidentes caem nos meses de férias após "Lei do Farol"

Avalie este item
(1 Votar)

Foto: Reprodução

A recente obrigatoriedade do farol baixo nas rodovias mesmo durante o dia pode até ter pego motoristas de surpresa. Mesmo assim, com a chamada “Lei do Farol” em vigor nos meses de férias, já é possível identificar queda no número de atropelamentos e colisões frontais justamente quando as estradas recebem mais carros. Por outro lado, especialista alerta para a falta de informação e o pouco tempo de casos até agora.

Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, de 23 de dezembro de 2015 a 6 de janeiro de 2016, foram registrados 108 atropelamentos, sendo 34 mortos e 43 gravemente feridos. Em igual período já em 2017, a quantidade de ocorrências caiu para 80, com o mesmo número de mortos e 32 feridos gravemente. Apesar da queda real de 26% dos casos e de feridos gravemente, o mesmo número de vítimas fatais representa um alerta.

O assessor de comunicação social da PRF, Diego Fernandes Brandão, explica que qualquer medida que objetive a visibilidade é benéfica para o trânsito de maneira geral. A lei 13.290 entrou em vigor em 8 de julho e, depois de ter suspensa a aplicação de multas, voltou a valer em outubro após novo entendimento enviado pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) aos órgãos locais.

“O uso do farol baixo não é apenas para garantir que o motorista veja o que está à sua frente, mas também, para que seja visto por outros motoristas e pedestres”, disse Brandão.

Além dos atropelamentos, o número de colisões frontais apresentou quedas ainda maiores: 43% (de 282 para 160 ocorrências), 42% (127 para 74 no número de mortos) e 52% (239 para 114 na quantidade de feridos com gravidade).

Os dados dão uma ideia de maior segurança nas estradas federais, mas, os especialistas preferem a cautela antes de comemorar os resultados. O Natal e o Ano Novo em um domingo seriam também fatores para diminuir o número de motoristas rumo ao litoral ou ao interior por exemplo. Mais do que isso, a incidência ou não de chuvas pode ser um fator preponderante na variação negativa.

Professor de engenharia de tráfego da Unicamp, Percival Bisca ratificou a segurança do uso do farol baixo em rodovias mesmo durante o dia. Ainda assim, o especialista prefere esperar os efeitos positivos, inclusive, com mais campanhas educativas.

“Certamente existe um efeito positivo. O farol baixo de dia não é para ver, é para ser visto. E é bastante fácil de notar que você enxerga melhor carros no sentido contrário”, disse Bisca. “Mesmo a pessoa estando completamente consciente da lei, às vezes pode esquecer e, por isso, acho que uma campanha maior seria necessária, assim como uma notificação na casa do condutor e uma tolerância maior antes da primeira multa.

De 23 de dezembro de 2016 a 6 de janeiro de 2017, 41.719 motoristas foram multados por “em movimento de dia, deixar de manter acesa luz baixa nas rodovias” de todo o País. A infração é média e acrescenta quatro pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e multa no valor de R$ 130,16.

 

Estadão Conteúdo

 

Ler 564 vezes

Usuários Online

Temos 1085 visitantes e Nenhum membro online

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÃO

Menino Tiago Linck segue realizando pale…

ESPECIAL

Ladrão armado de faca ataca estudante no…

GERAL

Miraguaienses vencem carreiradas em Palm…

ESTADO

Adolescente de 15 anos desaparecida foi …

REGIÃO

Tiradentes do Sul escolhe delegados e de…

ESPECIAL

Operação apreende 16 veículos em Três Pa…

JUSTIÇA

Jovem compartilha imagens da namorada nu…

GERAL

Novo desafio da internet faz jovens cost…

SAÚDE

Teste do Pezinho da rede pública pode de…

COMPORTAMENTO

Mulheres devem pagar menos na balada? Ve…

SEXO

Estudo diz que vida sexual ativa pode pr…

CURIOSIDADES

Mulher confessa ter abusado sexualmente …