Quinta, 12 Janeiro 2017 08:21

Desde a gravidez: a música acalma o bebê e estimula a criatividade

Avalie este item
(0 votos)

Foto: Reprodução

Lá está o bebê chorando e esperneando. E você não sabe mais o que fazer: já pegou no colo, embalou e fez sh-sh-shhhh. Da próxima vez em que a situação #tensa ocorrer, experimente cantar – nem que a primeira lembrança seja o bom e velho Nana, Nenê. A música faz mais efeito do que a fala para acalmar as crianças: um estudo realizado no Canadá comprovou que as crianças menores param de chorar mais rápido quando ouvem melodias instrumentais – já para as maiores, músicas com letra funcionam melhor. E, sim, tudo isso tem uma explicação lógica:

– A musicalidade é uma das primeiras formas de comunicação da criança com o mundo. O timbre do choro, a melodia da voz da mãe, o ritmo da batida do coração, a troca de velocidade e intensidade nas falas são alguns exemplos de como o bebê começa a perceber o mundo. O reconhecimento de melodias cantadas com afeto propicia uma sensação de segurança e aconchego – explica a artista e educadora Viviane Juguero, artista e coordenadora pedagógica do Bando de Brincantes e doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRGS.

O método dá ainda mais certo caso a mãe, desde a gravidez, já tenha o hábito de cantar para seu filho. Achou estranho? Pois saiba que o ouvido de um bebê está completamente formado na sua vida intrauterina, ou seja, o hábito de “cantar para a barriga” faz todo o sentido.

– Quando eu esperava meu filho Benjamin, eu ensaiava o espetáculo Bach Para Crianças e sentia o bebê dançar na minha barriga. É uma absorção total – recorda Raquel Grabauska, do grupo Cuidado que Mancha.

Mas os benefícios da música vão muito além da fase em que a voz da mãe precisa acalmar o bebê. Qualquer criança pode, desde bem pequena, passar a ter contato com as artes – contato definido pelos educadores como essencial para a construção da personalidade de cada um. Só não exagere na expectativa.

– Um bebê de três meses que frequente uma oficina de música não irá sair já tocando violino – brinca Raquel. – O entendimento de uma criança pequena não será expressado como o de um adulto. São camadas que vão evoluindo. O bebê vai mudando e interagindo. A partir dos seis meses de idade, já entoa músicas do seu próprio jeito.

– Crianças que têm mais acesso a produções artísticas, que dialoguem com a lógica lúdica do pensamento infantil, vão evoluir em sua capacidade criativa, senso crítico e desenvolvimento estético – completa Viviane.

Mas e se eu não sei cantar?

– O mais importante é os pais estarem entregues a esses momentos de intimidade singular, cantando com o coração. A melodia simples que, aos poucos, o bebê começa a balbuciar, propicia uma interação afetiva imediata. Por outro lado, um excesso de informações sonoras pode ser desagradável para o bebê, então busque canções adequadas para cada fase – indica Viviane Juguero, do Bando de Brincantes.

Como estimular o contato dos bebês com a música?

Lembre-se de que são os adultos que são mediadores para o acesso às artes. Vai depender da sua disponibilidade de pesquisar o que é agradável para toda a família em diferentes situações.

– Muitas mães me perguntam: “Meu filho tem quatro meses, que desenho eu boto para ele assistir?”. Não sabem o que fazer, não é só na Galinha Pintadinha que devemos ficar – conta Raquel Grabauska, do Cuidado que Mancha.

 

Donna

 

Ler 94 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Usuários Online

Temos 510 visitantes e Nenhum membro online

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

INUSITADO

Mulher contrata homem para matá-la e o p…

CIDADE

Corsan emite comunicado importante aos u…

INUSITADO

Cão segue passos de dono morto há um ano…

ESPECIAL

Acidente deixa um ferido na Avenida Ijuí…

POLÍCIA

Dois homens são presos por homicídio em …

ESPECIAL

Aposta ganha prêmio de R$ 5,4 milhões na…

INUSITADO

Homem descobre que sua mulher é prostitu…

GERAL

Bebê morre após avó confundir produto de…

SEGURANÇA

Casal é preso com mais de 200 kg de maco…

ESPECIAL

Picorruchos procura empresas para ajudar…

REGIÃO

Motorista encontra e devolve R$ 16 mil a…

TRÂNSITO

Jovem morre ao colidir carro em caminhão…