Quarta, 07 Março 2018 05:54

PF e Receita Federal desmontam esquema de contrabando no Aeroporto do Galeão

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Cinco mandados de prisão temporária são cumprido nesta quinta-feira, além de sete de busca e apreensão; servidores foram afastados das suas funções

PF durante outra operação no Aeroporto do Galeão; nesta quinta-feira, mandados são cumpridos em diferentes cidades

PF durante outra operação no Aeroporto do Galeão; nesta quinta-feira, mandados são cumpridos em diferentes cidades

Foto: Reprodução/TV Globo

Em parceria com a Corregedoria da Receita Federal, agentes da Polícia Federal cumprem, desde as primeiras horas desta quinta-feira (8), cinco mandados de prisão temporária e sete mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Os alvos da operação sãosuspeitos de participar de um esquema de contrabando e descaminho no Aeroportodo Galeão, no Rio.

Leia também: Jungmann demite Fernando Segovia do comando da Polícia Federal

Apelidada de "Vista Grossa", essa operação a respeito do contrabando no Aeroporto do Galeão também resultouem medidas de afastamento de servidores públicos de suas funções. Isso porque os alvos dos mandados são contra dois contrabandistas e três servidores da Receita Federal, sendo duas auditores e um analista tributário.

Os mandados são cumpridos nos bairros fluminenses de Copacabana, São Conrado, Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes; na cidade de Cabo Frio; e no município paulista de Bragança Paulista.

Vista Grossa

De acordo comas investigações, iniciadas há um ano, os membros da quadrilha contratavam pessoas, chamadas de mula, para trazer para o Brasil mercadorias importadas.

Leia também: PF deve pedir nova prorrogação do prazo para concluir investigação contra Temer

A partir daí, os nomes dessas pessoas e fotografias delas eram enviadas para servidores da Receita Federal, para que fizessem 'vista grossa', ou seja, não fiscalizassem com seriedade, e facilitassem a entrada de produtos no País, sem o devido pagamento de impostos.

A quadrilha trazia irregularmente produtos como celulares de alto padrão e com elevado custo de aquisição. Para cada mala de viagem que passava pelo canal de inspeção aduaneira sem fiscalização eram cobrados US$ 1 mil dólares. Já para mochilas, eram cobrados US$ 400 dólares por unidade.

Os presos serão indiciados por organização criminosa, facilitação de contrabando e descaminho, corrupção ativa e contrabando/descaminho praticado via transporte aéreo.

A operação que investiga o contrabando no Aeroporto do Galeão foi apelidada de "Vista Grossa" justamente por causa da falta de fiscalização adequada aos chamados mulas, envolvidos no esquema.

Leia também: Delegados ameaçam ir ao STF em caso de interferência em inquérito contra Temer

* Com informações da Agência Brasil.

Ler 368 vezes

Usuários Online

Temos 1722 visitantes e Nenhum membro online

.......

VITRINE PUBLICITÁRIA

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

POLÍCIA

Homem é preso vendendo drogas em cemitér…

ESTADO

Criança de 3 anos morre em incêndio de r…

POLÍTICA

Partido expulsa prefeito natural de Tene…

ESTADO

Hospital atesta óbito de bebê vivo no in…

ESPECIAL

Câmeras flagram homem encapuzado em gara…

GERAL

Polícia investiga se houve negligência d…

ESPECIAL

Bebê recém-nascido de mãe que morreu ant…

CIDADE

CPI realizará mais uma reunião de trabal…

ESPECIAL

Conheça as candidatas à rainha e princes…

POLÍCIA

Vídeos - Homem ataca policiais com facão…

INUSITADO

Vídeo - “Briga inusitada” é registrada n…

REGIÃO

UTI do Hospital Santo Antônio já tem dat…