Terça, 15 Maio 2018 06:25

‘Terá mais policiamento’, diz porta-voz sobre nova fase da intervenção no Rio

Avalie este item
(0 votos)

iG São Paulo

Depois de três meses, dedicados para diagnóstico da situação, nova etapa terá outra comunidade ocupada, afirma o coronel Roberto Itamar

Ação na Villa Kennedy%2C principal palco de operações da intervenção no Rio de Janeiro

Ação na Villa Kennedy%2C principal palco de operações da intervenção no Rio de Janeiro

Foto: Divulgação/Gabinete de Intervenção Federal

A intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro deverá entrar em nova fase. De acordo com o porta-voz do Gabinete de Intervenção Federal (GIF), coronel Roberto Itamar, a partir de agora a população do estado verá mais policiais e viaturas nas ruas.

Leia também:Alckmin promete que, se for eleito presidente, vai manter intervenção no Rio

Nesta quarta-feira (16), já se completam três meses desde que a internvenção foi instaurada. A primeira etapa foi dedicada a realizar diagnósticos e promover mudanças nos comandos das polícias Civil e Militar e na organização das secretarias ligadas ao tema.

“Após três meses de intervenção, a população vai perceber mais policiamento nas ruas. Basicamente fruto do retorno da RAS [Regime Adicional de Serviço, hora-extra policial], reposicionamento dos efetivos e retorno de policiais que estavam cedidos a outros órgãos. [Os policiais] também terão novas armas, coletes e viaturas”, anunciou Itamar.

Segundoo coronel, serão mais 1,3 mil homens nas ruas e novas viaturas vão chegar, além das 265 que foram recém-entregues, totalizando 580 veículos. Em entrevista à TV Brasil, Rádio Nacional e Agência Brasil na sede do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC),ele afirmou que uma nova comunidade será ocupada pelos militares nos próximos dias.

A ação será comoaconteceu na Vila Kennedy, zona oeste, onde o Exército opera desde 23 de fevereiro, e que agora volta totalmente ao controle do 14º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Bangu.

Ele afirma queos primeiros três meses foram dedicados à realização de diagnósticos da situação, reordenamento da estrutura de segurança, fortalecimento das corregedorias policiais e mudanças no sistema penitenciário, fatores que são fundamentais, mas não imediatamente percebidos pela população.

Leia também:Quatro pessoas são mortas em favela na zona oeste do Rio de Janeiro

Roubo de veículos

Questionado sobre a situação na cidade do Rio de Janeiro, onde a população está assustada com frequentes confrontes em morros e comunidades como Rocinha, Cidade de Deus, São Carlos, Jacarezinho e outros, além de assaltos de rua, principalmente em coletivos, Itamar disse que a percepção de segurança tende a melhorar nos próximos meses. Ele citou a redução de 13% no roubo de veículos, de março para abril, como um exemplo da diminuição da violência.

“Devem ser anunciados, muito em breve, a redução de vários índices de criminalidade, que traduzem a própria sensação de segurança da população, incluídos os roubos de rua. Os resultados estatísticos demoram um pouco a aparecer, mas a partir deste mês temos a certeza de uma tendência de redução nos índices”, adiantou Itamar.

Leia também:Chacinas dobram e tiroteios aumentam após intervenção no Rio de Janeiro

*Com informações da Agência Brasil

Ler 80 vezes

Usuários Online

Temos 28199 visitantes e 3 membros online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ESPORTES

Geromel vê Brasileirão ficar mais difíci…

FAMOSOS

Globo comunista ou golpista? Emissora su…

MODA

Bolsa de palha é o acessório que vai dom…

SEXO

Quando preciso começar a pensar em inova…

BICHOS

Vídeo - Píton enorme cai do teto de banc…

VARIEDADES

Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros q…

EDUCAÇÃO

Leveza e encantamento marcam Encontro Re…

DIVERSOS

Definidos os finalistas do campeonato de…

ESPECIAL

Governo confirma início do horário de ve…

GERAL

Divulgada pesquisa Ibope do segundo turn…

ESTADO

Novos pardais das rodovias federais do R…

POLÍCIA

Bebê de nove meses é encontrado morto no…