Foto: Reprodução

O MEC (Ministério da Educação) conseguiu, na última sexta-feira (15), a aprovação final da Base Nacional Comum Curricular no CNE (Conselho Nacional de Educação). A deliberação não foi por unanimidade, uma vez que três conselheiras pediram o adiamento da votação por entenderem que o documento tem limitações e o processo no CNE foi acelerado.

O MEC prevê a homologação da Base na próxima quarta-feira (20). Os prazos de implantação já começam a valer.

O documento prevê o que escolas públicas e privadas devem ensinar a cada ano da educação básica. Neste momento, só foi aprovado a parte de educação infantil e ensino fundamental. O bloco do ensino médio será discutido no ano que vem.

A norma vai orientar redes públicas e escolas na elaboração de currículos, além de impactar na produção de livros didáticos. As redes e escolas têm até 2020 para se adequarem.

Cabia ao CNE – que analisa a base desde abril – a deliberação final do documento. O governo Michel Temer esteve empenhado em aprovar no conselho a base ainda neste ano, com o objetivo de iniciar o processo de implementação em 2018 e de olho no calendário eleitoral.

Uma versão revisada da base foi encaminhada pelo governo ao CNE somente no dia 29 de novembro, mas o texto não foi levado à sociedade naquele momento.

Em 6 de dezembro, a Folha de S.Paulo revelou essa versão que trouxe mudanças em vários pontos, como em língua portuguesa e educação infantil. O MEC retirou ainda menções de identidade do gênero do texto e incluiu o tema em um novo bloco de ensino religioso.

O ministério manteve esse texto sem publicidade oficial até o dia 11 de dezembro, quando finalmente ele foi divulgado no site do MEC.

Nele, o MEC voltou atrás em um ponto: suprimiu da parte de ensino religioso trechos em que se previa a discussão na escola de concepções de “gênero e sexualidade” de acordo com tradições religiosas. Essa presença havia provocado críticas de especialistas.

A sessão de votação no CNE na sexta teve início por volta das 10h e já às 11h30min houve a deliberação favorável ao MEC. Foram 19 votos a favor do parecer que pedia a aprovação final e três contra.

Segue agora para o MEC um parecer técnico e uma resolução normativa, além de dois anexos. Um deles é a base em si e outro traz as colaborações recebidas pelo CNE em audiências públicas.

Os votos contrários vieram das conselheiras Márcia Ângela Aguiar, Malvina Tuttman e Aurina de Oliveira Santana. As três haviam feito pedido de vista na última reunião do órgão na semana passada, o que adiou a deliberação final para esta sexta.

“Não me considero participante desse processo”, disse Tuttman, que criticou o fato de os prazos de aprovação não terem sido acordados no CNE e, sim, impostos pelo MEC. “Não faz parte de um órgão de Estado se submeter a uma solicitação se ainda não está pronto para fazer a deliberação necessária.” O grupo também discordou da decisão do ministério de fatiar a base e deixar o ensino médio para mais tarde.

O documento final com os objetivos de aprendizagem deve ter alguns pontos de ajustes antes da homologação. Um deles é a inclusão de uma frase que indica para as redes que não há necessidade de seguir a mesma estrutura prevista na base, possibilitando currículos autorais de cada rede.

Após a votação, o secretário de Educação Básica do MEC, Rossieli Soares da Silva, defendeu que o processo de construção não é recente. “Eu me sinto, ao contrário do que foi dito, muito confortável com a aprovação de hoje.”

A secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, diz que as divergências com relação à aprovação neste momento não serão entraves na implementação. “Ganhou a base que foi desenvolvida e articulada o tempo todo com o conselho nacional, com as audiências públicas, com as entidades, é uma vitória do Brasil.” Segundo dados do governo, a economia com a última edição do horário (entre outubro de 2016 e fevereiro de 2017) foi de R$ 159,5 milhões. Esse valor, considerado baixo pelo setor elétrico, é decorrente da redução do uso de usinas térmicas para complementar a demanda por energia.

 

O Sul

Publicado em EDUCAÇÃO

Usuários Online

Temos 578 visitantes e Nenhum membro online

.......

VITRINE PUBLICITÁRIA

Green House

VIVO Multicell - Três Passos

Igreja Dom de Maravilha

Vende-se prédio comercial em Humaitá

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DIVERSOS

Prefeito recepciona cavalarianos em Tira…

GERAL

Criança de um ano e nove meses morre afo…

ESPECIAL

Caminhonete estacionada na rua é furtada…

TEMPO

Rio Grande do Sul ainda pode ter chuva f…

TRÂNSITO

Jovem morre ao colidir motocicleta de fr…

GERAL

Horário de verão pode ser proibido em to…

ESPECIAL

Incêndio de grandes proporções é registr…

JUSTIÇA

Juiz que vendia sentenças via Whatsapp é…

TEMPO

Primavera será quente e chuvosa no Rio G…

TRÂNSITO

Carro fica destruído após saída de pista…

CIDADE

Ministério do Trabalho desinterdita frig…

TRÂNSITO

Carreta do Paraguai capota em rodovia no…