Comportamento
Foto: Reprodução

É possível estar em um relacionamento abusivo e não perceber? Sim: como o abuso não acontece apenas através da violência física e verbal, é preciso estar atento para sinais mais sutis, que caracterizam o abuso psicológico ou emocional.

Esse tipo de abuso acontece quando uma das pessoas na relação tenta controlar a outra, manipulando o seu senso da realidade ou a sua visão do que é aceitável e do que não é. Geralmente, está ligado a ameaças projetadas para forçar a vítima a concordar com o desejo do abusador.

Todo tipo de abuso produz um golpe na autoestima da vítima. Isso faz com que a própria vítima acabe se responsabilizando pelo que acontece, também porque muitos abusadores procuram fazer com que ela pense assim.

O abuso psicológico também acontece quando se tenta fazer com que a vítima duvide da própria memória, percepção ou sanidade. O abusador nega veementemente algo que aconteceu ou interpreta tudo de forma a parecer que a vítima está desequilibrada.

Outra forma comum de abuso emocional é o típico: “Eu te amo, mas…”, o que ao mesmo tempo é uma crítica e uma ameaça. O termo “amor” parece ser uma palavrinha mágica que rende a vítima para ser controlada, deixando-a com medo de ficar sozinha e facilitando a sua manipulação.

Mesmo gentilezas e presentes podem fazer parte do ciclo do abuso. Eles servem para o abusador continuar no controle, recompensando manipulações bem-sucedidas e tentando soterrar todo o mau tratamento. De fato, raros são os relacionamentos abusivos em que não há momentos, até mesmo intensos, de bons sentimentos, carinho e pedidos de desculpas eloquentes. A vítima se alivia e se abre à esperança quando esses comportamentos acontecem – e o abusador sabe disso e o usa a seu favor.

Confira esses 21 sinais de abuso psicológico abaixo e lembre-se: se você estiver sendo vítima de algum deles, a culpa não é sua. Abusadores são especialistas em fazer a vítima acreditar que o modo como tem sido tratada é sua culpa. Eles sabem que todos têm suas inseguranças e as usam contra as vítimas – dizem que estão tratando-a assim porque “merecem” ou para “ajudá-las”.

Você passa por humilhações e constrangimentos perpetrados por seu parceiro

O seu parceiro sempre te põe para baixo

O seu parceiro te critica com frequência

O seu parceiro se recusa a conversar

Ele te ignora ou te exclui

O seu parceiro te trai

Ele age de forma provocativa com outras pessoas do sexo oposto

O seu parceiro é sarcástico ou tem um tom de voz grosseiro

O seu parceiro tem ciúme sem motivo

Ele é mal-humorado com frequência

O seu parceiro tira sarro e faz piadas com você

Ele diz: “Eu te amo, mas…”

O seu parceiro diz coisas como: “Se você não fizer ________, eu vou __________”

Você se sente controlado e dominado

O seu parceiro te chantageia com ausência de afeto e carinho

Você sente culpa com frequência

O seu parceiro diz que tudo é culpa sua

O seu parceiro isola você de seus amigos e familiares

Ele te controla financeiramente

O seu parceiro pergunta todo o tempo o que você está fazendo quando você não está com ele

Ele ameaça se suicidar se você o deixar

Se você viu o seu relacionamento enquadrado nessa lista, saiba que as chances de que as coisas mudem são muito baixas. Isso exigiria uma clareza de visão e uma força de vontade monumentais para o abusador e, infelizmente, na maioria das vezes isso não acontece.

É preciso que a vítima procure ajuda psicológica, o que ajuda a recobrar a autoestima, e tenha a coragem de sair desse ciclo sem olhar para trás. Mesmo que você sinta que “ama” essa pessoa, o fato é que um abusador não te ama e nem te respeita.

Sempre Família