Estado
Foto: Arquivo / CCR ViaSul / Divulgação

Em sintonia com o compromisso do fortalecimento regional, da competitividade e da inovação, a FEDERASUL ouviu nesta quarta (12) no Tá na Mesa, o presidente da CCR Via Sul, Fausto Camilotti, que anunciou o início, na próxima semana, da duplicação da BR-386 entre Lajeado e Carazinho. A obra da duplicação da 386 (166 km em nove anos) atende parte dos pleitos da entidade que, nos últimos dois meses realizou oito fóruns regionais, as Jornadas de  Integração, para priorizar as demandas que, na maioria, estão na área de infraestrutura. “As concessões, quando bem feitas, trazem benefícios”, disse o presidente Anderson Trautman Cardoso que reforçou o posicionamento da entidade para que as parcerias com a iniciativa privada sejam ampliadas também para outros modais, como portos, aeroportos e ferrovias.

A FEDERASUL entende que quando o Brasil tiver eficiência e integração entre os diferentes modais, ganhará em competitividade e, consequentemente, na geração de riquezas. Anderson Trautman Cardoso lembrou que, mesmo quando o Estado não tem capacidade de investimento, “os benefícios das concessões são amplos porque trazem também receita para os municípios e garantem renda para as comunidades”. O Tá na Mesa teve a participação do vice-presidente de Economia da entidade, Fernando Marchet.

O presidente da CCR Via Sul, Fausto Camilotti, explicou que todas as compras necessárias à duplicação serão feitas na própria região. “Vamos buscar mão de obra também e incentivar a economia local”. Ele não informou o valor da duplicação da 386, mas lembrou que integra o valor de R$ 5 bilhões nos 30 anos previstos na concessão. Disse que a empresa já investiu R$ 500 milhões desde que chegou, em 2019 e que apenas neste ano, nos quatro trechos que administra (BRs 290, 101, 386 e 448), o investimento previsto gira em torno de R$ 370 milhões.

A duplicação da 386 será feita por trechos a cada dois anos e num prazo de 10 anos, disse Camilotti. O primeiro trecho de 20 km inicia nesta semana entre Lajeado e Marques de Souza; o segundo, de 26 km entre Fontoura Xavier e Soledade; o terceiro de 31 km entre Soledade a Tio Hugo; o quarto entre Marques de Souza a Fontoura Xavier de 56 km e finaliza entre Tio Hugo e Carazinho.

A CCR Via Sul, revelou também que está examinando três lotes das concessões estaduais para apresentar propostas e informou que, junto com a duplicação da 386 que deve estar com o licenciamento publicado até o final desta semana, vai colocar em operação o CALI, Centro de Atendimento à Comunidade Lindeira.

O CALI vai funcionar como complemen na duplicação e através de um veículo adaptado deverá promover e oferecer todas as informações necessárias para atender as necessidades das comunidades por onde passarem as obras.

Os benefícios das concessões vão além da redução de acidentes (nos trechos da CCR Via Sul a redução de mortes chega a 75%). A CCR Via Sul já retornou, aos municípios por onde passa, mais de R$ 46 milhões, apenas em ISS. “O investimento traz, aos municípios, o fortalecimento da logística, o crescimento regional e o pagamento de tributos”, explicou Fausto Camilotti.

Imprensa Federasul