Denúncia
Foto: Reprodução

A pedido do Ministério Público em Tapes, a Justiça determinou o afastamento de um policial militar por 180 dias, com possibilidade de prorrogação do prazo, após ser flagrado agredindo um motociclista em 31 de março deste ano.

O PM é alvo de uma ação civil pública por atos de improbidade administrativa ajuizada em 18 de agosto pelo promotor de Justiça Daniel Soares Indrusiak. Na peça, o promotor explica que a apuração teve início a partir da publicação de imagens em redes sociais que exibem o policial, no exercício de sua função, espancando o condutor de uma motocicleta após abordá-lo com a viatura de serviço. “Dentre os documentos anexados ao inquérito, foi incluído o vídeo, cujo conteúdo é claríssimo e chocante”, relata o promotor.

Nas imagens, percebe-se claramente o PM ordenando à vítima que parasse a motocicleta, determinação pronta e pacificamente acatada. O motociclista desliga o veículo e prepara-se para responder à abordagem policial, inclusive retirando voluntariamente seu capacete para melhor comunicar-se com o policial. Em seguida, sem qualquer razão que pudesse explicar tal conduta, o brigadiano desfere violento golpe no rosto da vítima, a qual, desorientada, procura proteger-se e evitar novas agressões. Não satisfeito, o policial utiliza o capacete da vítima para golpeá-la mais vezes, encurralando-a contra um muro.

Em seu depoimento, o motociclista diz ter sentado no chão, junto ao muro, chorando e suplicando que o policial cessasse as agressões, ao que o brigadiano teria respondido que se a abordagem tivesse ocorrido em local desabitado, o motociclista “ia ver o que era tomar pau”.

MP RS