Cidade
Partido rompeu acordo firmado em documento. Foto: Divulgação

Arlei Tomazoni (PSDB) na majoritária e pastor Ipê (MDB), de vice, são os pré-candidatos pela principal força de oposição nas eleições de 2020, em Três Passos. O PP, que tem como pré-candidato a prefeito Enir Reginatto, rompeu nesta semana o acordo como PSDB e MDB realizado no dia 7 de agosto. O rompimento ocorreu após a pesquisa que indicou o primeiro e segundo colocados para encabeçar uma coligação à prefeitura. O acordo foi, inclusive, lavrado em ata.

Os três pré-candidatos, Arlei, Reginatto e Ipê, chegaram a utilizar as redes sociais para anunciar que as siglas iriam concorrer unidas na eleição municipal. Para definição do candidato a prefeito e do vice, os líderes anunciaram que seria realizada uma pesquisa eleitoral. O candidato com maior potencial de votos na pesquisa seria o cabeça de chapa, e o segundo colocado, seria indicado como vice.

Documento da reunião.

A decisão surpreendeu os outros dois partidos. Conforme Arlei Tomazoni, com a decisão unilateral do PP, ele próprio se torna o nome para encabeçar uma chapa de oposição. Segundo o vereador, o pastor Rodrigo Ipê, do MDB, já aceitou ser o pré-candidato a vice, cumprindo o acordado anteriormente.

Até o momento, Reginatto é o pré-candidato do PP. Jorginho Dickel (PT) poderá ter como vice um nome do PTB. Roberto Prediger (PSB), ex-prefeito de Esperança do Sul, também é pré-candidato a prefeito. Se houver alguma divisão na situação, Três Passos poderá ter até cinco candidatos a prefeito em 2020.