Geral
Foto: Reprodução

Áudios publicados no Youtube na quarta-feira (23) revelam que um grupo formado por clientes da Unick Forex está se mobilizando para uma manifestação nas redes sociais em favor da empresa. A Unick está sendo investigada por pirâmide financeira e os responsáveis foram presos pela Polícia Federal na última quinta-feira.

O argumento usado é que o governo quer ficar com todo o dinheiro e bens arrestados da empresa. Para exemplificar, os organizadores do protesto citam o caso de outras pirâmide financeira que ruiu, como a Telexfree.

Eles acreditam que as vítimas do golpe nunca receberam o dinheiro de volta. No entanto, eles podem não saber que para reaver fundos perdidos em casos ilícitos o interessado tem que entrar com um processo na Justiça — um investidor da Telexfree do Rio Grande do Sul conseguiu o dinheiro de volta.

Dinheiro é do povo, diz ‘diamante’ da Unick

“O dinheiro é do povo, não é do governo. Eles não têm que ficar com dinheiro nenhum”. A frase é de um suposto ‘diamante’ Unick, que por meio de um dos áudios vem tentando persuadir clientes a se manifestarem a favor da empresa.

Outro argumento para chamar o maior número de pessoas, disseram eles, é que a Unick vinha pagando, mesmo reduzidos, os cashbacks, e que só parou quando a polícia interveio e prendeu “o pessoal do corporativo”, diz um dos apoiadores em um outro áudios.

“Criamos um grupo para fazer manifestações nas redes sociais, para as pessoas lutarem para ter seu dinheiro de volta. Divulguem em todos os grupos. Espalhem para todas as pessoas, mesmo que não gostem da Unick, tem que torcer para que a Unick continue”, convoca um usuário.

Na manhã desta quinta-feira (24) um grupo no Telegram chamado ‘manifestação a favor da Unick’ já possuía cerca de 3 mil usuários. Apesar de algumas pessoa s entrarem apenas para xingar a empresa, o sentimento está mais para o de união.

“Olha a Unick voltando”, escreveu um usuário. “Não vamos deixar esse governo de m**** acabar com nossa Unick”, esbravejou outro.

Vários áudios também foram postados no grupo. Em um deles, um cliente que diz que teria realizado coisas que há tempos vinha tentando e não conseguia, como ‘tirar’ sua habilitação. Com o dinheiro que ganhou ele disse também que reformou sua casa.

“Governo e CVM  nunca me deram anda. Eu tenho que defender quem me ajudou”, falou.

Outro suposto diamante escreveu: “Pessoal toda minha rede está aqui neste grupo. Para chegar à graduação de Diamante lutamos e cada um aqui colocou seu sonho e sua história não pode parar. Então vamos aonde for para resgatar seu sonho, todos, com toda força, falando a mesma língua”.

Vídeos pró Unick

Dentro da proposta de manifestação, os usuários estão sendo convidados a gravarem um depoimento em vídeo em favor da empresa e mandar no grupo. A sugestão é de que não pode faltar a frase “juntos somos mais fortes”. 

Um deles já enviou e disse os seguinte:

“Eu apoio e estamos junto galera, para que nós possamos reverter essa situação”.

De acordo com o depoimento, ele se diz satisfeito e que permanece na empresa há mais de um ano. Disse também que nunca viu uma empresa como a Unick.

“Não vejo outra no mercado que fez o que a Unick fez”.

Até mesmo um vídeo de Danter Silva, um dos cabeças da Unick preso, foi compartilhado no grupo. Nele, o diretor esbraveja frases de motivação.

Abaixo-assinado

O mesmo movimento criou um abaixo-assinado em defesa da Unick no site Change.org. A petição “Em favor da absolvição da empresa Unick Academy” já tem quase 4.500 na manhã desta quinta-feira (24).

Segundo o criador da petição, Cristian Gonçalves, a ideia do abaixo-assinado é para “pressionar Ministério Público e Polícia Federal”, conforme mostrado na descrição do documento.

Movimento lembra caso Indeal

Praticamente da mesma forma, depois que a Polícia Federal interveio na Indeal em maio deste ano e prendeu seu líderes por suposto golpe financeiro, surgiu um movimento de apoio à empresa.

Passado pouco mais de dois meses, em julho, os integrantes daquele movimento fizeram uma manifestação a favor da empresa na sede da Justiça Federal em Porto Alegre (RS).

Conforme mostrou um vídeo na época,  um grito de “sou cliente Indeal e nunca fui lesado” foi clamado por cerca de 200 pessoas.

Mais recentemente, cerca de cem clientes da Indeal estiveram por cerca duas horas em frente ao escritório da empresa em Novo Hamburgo (RS) para reivindicar pagamentos.

Organizada pela Associação de Clientes Indeal (Assic), o movimento contou com pessoas de várias regiões, entre elas Vale do Sinos, Porto Alegre, Serra, Concórdia e Chapecó.

Em um tom diferente, as vítimas clamaram diretamente à empresa.

Portal do Bitcoin