Internacional
Foto: Divulgação

O isolamento social preventivo e compulsório proporcionado pelo governo nacional diante da emergência sanitária causada pela Covid-19 em todo o país, além de gerar uma importante mudança na rotina e no comportamento dos argentinos, também levou aqueles que se envolvem em contrabando mercadorias sem a garantia aduaneira correspondente aumentará o número de passagens devido à alta demanda de alguns produtos em particular. 

Bebidas alcoólicas de várias marcas, diferentes tipos de embutidos e até necessidades essenciais vêm crescendo em demanda nos últimos meses e se juntam aos negócios constantes e sempre lucrativos do tráfico de cigarros e soja.

Com base nisso, movimentos desse tipo que ocorrem em diferentes cidades fronteiriças do Brasil e da Argentina, separados pelo rio Uruguai, continuam sendo uma das principais preocupações por parte das forças federais e da Polícia Missionária em sua busca para neutralizar a passagem desses produtos de uma costa para a outra.

Uma das forças que executou a maioria dos procedimentos ao longo do ano nesta matéria, mas com muito mais intervenção nos últimos quatro meses, foi a Prefeitura Naval Argentina (PNA).

A partir da compilação de procedimentos publicados por esse meio e realizados nas áreas costeiras de San Javier, El Soberbio, Alba Posse e Colonia Aurora, estabeleceu-se como uma das características mais importantes o crescimento do contrabando de vinhos argentinos em o país vizinho.

Através das várias apreensões deste produto, em muitos casos em grandes quantidades, nada mais foi do que ratificar a escolha e o forte gosto dos brasileiros pelos vinhos argentinos de primeira linha.

Segundo as estatísticas, mais de 600 garrafas foram apreendidas até agora este ano pela PNA, cujos valores de marketing são de cerca de 1.200 pesos cada e que no mercado brasileiro quase triplicaram de valor.

Por outro lado, dentre as mercadorias mais apreendidas, destacam-se as mais de 3.000 caixas de cigarros da indústria estrangeira retiradas de circulação pelos prefecturianos.

Este último, como outras mercadorias, também mostrou um notável crescimento do contrabando e uma das razões que justificariam esse aumento é a paralisação da produção de várias empresas de tabaco com produção no território nacional e que tiveram que reduzir e, em muitos casos, até cortar a produção habitual, devido à emergência sanitária.

Soja e outros grãos

Por outro lado, por meio da intensificação dos diferentes controles nas artérias nacionais, bem como nas áreas rurais próximas às diferentes zonas ribeirinhas, foi possível golpear vários golpes contra os responsáveis ​​pelo contrabando de soja e outros tipos de grãos para o Brasil.

Em relação a este último, durante o primeiro semestre do ano, a mesma força federal apreendeu mais de 125 toneladas do referido produto, com um valor estimado de mercado de 3.000.000 pesos.

Uma das operações mais importantes ocorreu no final de abril, durante patrulhas realizadas em Colonia Aurora. Nessa ocasião, foi detectada a circulação de um caminhão transportando 9.000 kg de soja sem a garantia aduaneira correspondente.

Durante este procedimento, o veículo utilizado e outros elementos utilizados para a transferência também foram apreendidos.

El Territorio