Polícia
Foto: Arquivo Pessoal

A Polícia Civil encontrou o corpo de Paula Perin Portes na noite deste domingo (16) em Soledade, no norte do Estado. O cadáver da jovem de 18 anos foi localizado por volta da meia-noite, e a perícia confirmou sua identidade na madrugada desta segunda-feira (17).

O corpo de Paula estava enterrado em Rincão do Bugre, local de difícil acesso no interior do município, no meio de uma mata fechada, segundo informou delegada Fabiana Bittencourt ao portal ClicSoledade. O local fica a 5 quilômetros do açude em que a bolsa da jovem foi localizada no dia 4. Peças de roupas e uma tatuagem no braço de Paula ajudaram a identificar o corpo. A polícia acredita que este não é o primeiro local em que o cadáver foi descartado.

As buscas ao corpo de Paula terminaram dois meses depois de seu desaparecimento, na madrugada do dia 11 de junho. Naquela noite, a jovem teve um encontro com Micael Willian Rossi Ortiz, 22 anos, em uma residência em Soledade. De acordo com a polícia, cinco homens estavam com Paula nessa casa.

No dia 4, a bolsa da jovem foi encontrada em um açude nas margens da BR-332, em Soledade. Dentro do acessório estavam documentos, carregador de celular, maquiagem e duas pedras.

Foto: PC

Dois dos homens considerados suspeitos foram presos no dia 8, após serem detidos e ganharem liberdade. A polícia obteve provas que a dupla estaria alterando o corpo de local e dificultando o trabalho da polícia.

De acordo com a delegada Fabiane Bittencourt, eles são ligados a uma facção criminosa com base no Vale do Sinos. Com as prisões, três dos quatro suspeitos de envolvimento no sumiço de Paula estão detidos. Tido como peça-chave do caso, Ortiz segue foragido. A investigação aponta que a morte da jovem pode ter sido premeditada e motivada pelo fato de Paula ter conhecimento de crimes cometidos por Ortiz.

À Rádio Uirapuru, o pai de Paula, Paulo Portes, informou que a menina contava que estava conversando com Micael e dizia que tinha interesse em namorá-lo. A noite em que ela sumiu teria sido o primeiro encontro entre os dois.

A polícia trata o caso como homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Há possibilidade de o crime também ser enquadrado em organização criminosa.

Rádio Uirapuru