Polícia
Foto: Divulgação

O autor confesso, de 19 anos, foi ouvido pelos policiais civis, na tarde de segunda-feira (17). Inicialmente tentou negar o crime, mas diante das evidencias e dos elementos apontados pelos policiais, acabou confessando e deu detalhes. Durante todo o depoimento, o autor, estava calmo e tranquilo, segundo o Delegado Valeriano.

Mais um rápido trabalho do Setor de Investigação da Polícia Civil coordenado pelo Delegado, Valeriano Neto, prendeu o pai da criança que morreu na madrugada desta segunda-feira(17), vítima de espancamento.

Conforme relato do assassino confesso, ele bateu no filho com uma taquara, porque o menino estaria chorando. A agressão, abalou toda rede de saúde e demais órgãos que tiveram conhecimento do fato. Os golpes na região da boca quebraram os dentes do menino e cortaram a gengiva, além de outros traumas.

O laudo médico atestou que a criança de 1 ano e oito meses morreu de traumatismo craniano e hemorragia.

Foto: Rede Social

Após ouvir a confissão do autor, o Delegado Valeriano concedeu uma entrevista à imprensa onde relatou detalhes como o autor confesso praticou o crime brutal e bárbaro em Alegrete.

Sem antecedentes criminais, o suspeito admitiu ao delegado que espancou o filho na noite de quinta-feira (13), com um pedaço de taquara atingiu a região da cabeça, braços e pernas da criança. Depois disso, foi para zona rural onde retornou para casa só no domingo (16). Quando chegou, em casa, encontrou a criança convulsionando, então procurou o hospital.

O delegado pediu a prisão preventiva do criminoso, conforme fez questão de frisar durante a coletiva. O suspeito admitiu ser usuário de álcool e em depoimento formal acompanhado de um advogado acabou confessando a autoria do crime. Segundo a Polícia Civil, que buscou informações com a equipe médica que atendeu o menino, se ele fosse atendido ainda na quinta, a vítima teria chances de sobreviver. Porém, os tios disseram que não tinham percebido que o menino estava com os dentes quebrados, apenas ouviram o choro quando o pai o espancou na quinta- feira em um local conhecido como lenheira.

Alegrete Tudo