Justiça
Foto: Jornal Alto Uruguai / Cíntia Henker Moraes

A defesa de Alexandra Dougokenski, ré confessa do assassinato do próprio filho, Rafael Winques, 11 anos em Maio de 2020 em Planalto, apresentou o laudo da perícia particular no áudio que os advogados alegam ser do menino e que teria sido extraído do celular do Pai de Rafael. Conforme o Advogado Jean Severo, a perícia foi executada pelo perito forense Sérgio Hernandez de São Paulo. Conforme o documento, o perito conclui que o áudio foi criado no dia 15 de Maio às 20h33min, um dia depois da data da morte apontada pelo inquérito policial.

Em recente entrevista ao Grupo Chiru, Jean Severo disse que o trabalho de investigação e o inquérito apresentado pela Polícia Civil ao Ministério Público apresentam diversas falhas. “Se o garoto estava morto no dia 14, como ele iria enviar um áudio para o Pai no dia 15”, questionou o criminalista.

Sobre a voz existente no áudio, o perito forense Sérgio Hernandez disse que há semelhança na comparação com outras conversas em áudio encaminhadas por Rafael. Segundo o documento ambos os arquivos possuem características de fluência regional (sotaque) semelhante. Jean Severo acrescentou que esta prova será juntada ao processo para ser apresentada num momento oportuno que pode ser na data do novo julgamento, ainda sem previsão para ocorrer.

A espera do novo julgamento, Alexandra Dougokenski permanece presa na cadeia feminina de Guaíba.

Receba as notícias do Três Passos News no seu celular:

https://chat.whatsapp.com/HZcQ9vXiMIN1GC4kHcXcvC

Grupo Chiru