Tempo
Foto: Divulgação

Do final do mês de outubro até esta segunda-feira (7), 101 municípios gaúchos já decretaram situação de emergência em função da estiagem. Para os próximos meses, a Defesa Civil faz um prognóstico pessimista. O motivo é a confirmação do retorno do fenômeno La Niña, que deve deixar o Rio Grande do Sul com poucos registros de chuva.

Em um comparativo com o ano passado, nesta mesma data, nenhum município havia registrado estiagem. Das 101 prefeituras, 42 tiveram o decreto homologado pelo governo do Estado e 26 foram reconhecidas pela União.

O coordenador estadual da Defesa Civil, Coronel Júlio Cesar Rocha Lopes, afirma que as chuvas dos últimos dias ajudaram a amenizar o problema, mas não resolvem a falta de água.

— O nosso prognóstico é que, com a chuva, houve uma resposta hidrológica para amenizar a situação crítica que vinha persistindo no Estado. No entanto, segue a condição de alerta, especialmente nas bacias do Gravataí, do Sinos e da região noroeste. A chuva atenuou o problema da estiagem, mas não resolve — explicou o coordenador estadual.

As regiões Norte, Noroeste, Fronteira Oeste, Sul e Central são que mais preocupam o órgão. No entanto, o pedido da Defesa Civil é que todo o Estado evite o desperdício de água em função do nível das principais bacias hidrográficas.

GZH