Tempo
Foto: Tiago Delbrücke/Arquivo

A estiagem já traz prejuízos e deixa treze municípios do Alto Uruguai em situação de emergência pelos efeitos dos déficits de precipitação. De acordo com o jornal O Alto Uruguai, além do impacto na agricultura e na pecuária, a escassez de água também obrigou o município de Frederico Westphalen, por exemplo, a realizar abastecimento para a população mediante o uso de caminhões-pipa. Comunidades como Barra do Braga, São Roque e Distrito do Castelinho recebem água por caminhões para consumos humano ou animal.

Prefeituras da região passaram a decretar situação de emergência na tentativa de chamar atenção das autoridades estaduais e federais, e eventualmente conseguir recursos para atenuar os impactos gerados pela estiagem. Além de Frederico Westphalen, que publicou o decreto no fim de outubro, Palmitinho, Alpestre, Cerro Grande, Cristal do Sul, Caiçara, Iraí, Novo Tiradentes, Boa Vista das Missões, Planalto, Vista Alegre, Seberi, Pinhal informaram danos à Defesa Civil e emitiram os decretos nesta semana.

A Defesa Civil antecipa que a lista de municípios em emergência deve aumentar nos próximos dias, já que muitos estão contatando a Defesa Civil solicitando orientações e visitas do órgão. Com a publicação dos decretos em cada município, a Defesa Civil agora trabalha em cada localidade para homologar os documentos e o levantamento das perdas junto aos governos do estado e federal.

A tendência não é nada animadora para as próximas semanas, diz a meteorologista da MetSul Estael Sias. Segundo Estael, o fenômeno La Niña que desfavorece a chuva segue em intensificação até o fim do ano e deve ser forte a intenso na virada do ano. Conforme Estael, não chega a deixar de chover nas próximas semanas, mas as precipitações tendem a ser muito irregulares e em muitos locais com baixos volumes, o que deve agravar o quadro de déficit hídrico.

MetSul