Bichos
Foto: Ilustração

O empresário, produtor rural e colunista do Jornal Sentinela, Clóvis Medeiros, sofreu um grave acidente na semana que passou quando foi picado por uma das cobras mais venenosas do Brasil.  Clóvis explica que estava no município de São Francisco de Assis onde possui uma propriedade rural,  quando  promovia alguns ajustes para receber um gado que havia comprado,  quando foi picado por uma cobra “Urutu Cruzeira”,  que pertence a família da cascavel, considerada uma das cobras mais venenosas que habitam o sul do Brasil, Uruguai, Paraguai e Sul da Argentina.  “Era uma cobra grande, de quase dois metros. Eu havia avistado essa mesma cobra no dia anterior, e no dia seguinte quando estava trabalhando no campo fui picado por ela, mesmo usando botas de borracha”, explica Clóvis.

Foto: Arquivo Pessoal

Ele foi atendido imediatamente, conduzido inicialmente a um hospital em Jaguari onde não havia soro antiofídico, e posteriormente a cidade de Santiago, onde também não havia o soro.  A solução foi conduzir o empresário até a cidade de Santa Maria, onde  foi atendido no Hospital Universitário, onde recebeu doses do soro e  ainda continua internado.  A serpente foi abatida após ter picado Clóvis.

Ele está sendo atendido por uma equipe médica de Santa Maria,  sob a orientação do CIT, Centro de Investigação Toxicológicas, de Porto Alegre. “O atendimento aqui é muito bom. Estou recebendo antibióticos e recebendo monitoramento da coagulação sanguínea. Existe o risco de ocorrer parada cardíaca, embolia, infecção no órgão atingido, no caso, a perna esquerda”, explica Clóvis.  Ele continua sob orientação do CIT, que recomendou a aplicação de novas doses de soro antiofídico, uma delas já aplicada na noite do último domingo, 13. A equipe médica está monitorando a coagulação sanguínea e dando atenção especial ao local da picada. Clóvis está com hematomas por todo o corpo mas seu quadro é estável.  Ainda não existe previsão de alta.

Jornal Sentinela