Educação
Foto: Guilherme Almeida

O retorno presencial dos Anos Finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) foi marcado nesta sexta-feira por escolas fechadas e pela ausência dos alunos. A volta do calendário da rede pública estadual foi determinada pela Secretaria Estadual da Educação (Seduc) e repassado as 30 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) do Rio Grande do Sul.

Desde o dia 3 de maio, os estudantes da Educação Infantil; 1º e 2º anos do Ensino Fundamental; 3º, 4º e 5º anos do Ensino Fundamental e Anos Finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) deveriam estar na sala de aula. Porém, não é o que está acontecendo nas instituições de ensino, que permanecem fechadas e sem receber os estudantes.

Em Porto Alegre, na Escola Estadual de Ensino Fundamental Cidade Jardim, no bairro Nonoai, na zona Sul da Capital, a direção da escola colocou um cartaz com uma mensagem aos pais: “Estamos trabalhando internamente na escola para providenciar as condições sanitárias essenciais para o retorno seguro de nossos alunos”. 

O comunicado diz ainda que estão sendo feitas limpezas, desinfecções, dedetizações e compra de merenda. A mensagem alerta ainda que o retorno presencial “Não é Obrigatório”. Segundo a escola, é uma opção que deve ser avaliada pela família. O comunicado termina pedindo que os estudantes continuem realizando suas atividades de forma remota.

Já no bairro Petrópolis, o Instituto Estadual Rio Branco, os funcionários estavam na escola, mas não havia alunos. Um cartaz foi colocado no portão da instituição de ensino com os telefones da diretora e da vice da instituição de ensino para maiores informações. No pátio do colégio, a faixa “Escolas Fechadas. Vidas Preservadas”.

Na escola estadual de Ensino Fundamental Luciana de Abreu, no bairro Santana, professores e funcionários estavam no colégio, mas também não recebeu estudantes na manhã de sexta-feira.

Conforme a Seduc, a volta para a sala de aula terá continuidade no dia 10 de maio, com os alunos do 1º ano do Ensino Médio. Nos dias 12 e 13 de maio, será a vez dos alunos do 2º e 3º anos do Ensino Médio e do Ensino técnico e Curso Normal, respectivamente.

Segundo a secretaria, o retorno dos estudantes para às aulas presenciais já vem sendo planejado há muitos meses pelas direções das escolas no Estado. O modelo de ensino ocorre de duas maneiras: aulas presenciais e também remotas.

A carga horária diária para o Ensino Fundamental deverá ser composta por três horas presenciais e uma hora remota. No Ensino Médio, a carga horária diária deverá ser de três horas presenciais e duas horas remotas.

A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, voltou a afirmar que sem vacinas, sem testagem, sem EPIs de qualidade e a redução nos níveis de transmissão no Estado, é impossível retomar as atividades presenciais com segurança.

Correio do Povo