Tempo
Hidrelétrica Foz do Chapecó, na divisa entre SC e RS. Foto: Reprodução

Além dos transtornos para a travessia do rio Uruguai, como o que aconteceu na noite do último domingo, 8, quando a balsa ficou encalhada entre Itapiranga e Barra do Guarita, a falta de chuva também afeta a geração de energia. Na hidrelétrica Foz do Chapecó, entre Águas de Chapecó – SC e Alpestre, não houve geração durante o final de semana. A geração só foi retomada às 10h de segunda-feira, 09, de forma parcial.

Desde janeiro a hidrelétrica vem trabalhando com uma das quatro turbinas paradas e outras três horas funcionando sem gerar, hora gerando pouco, conforme orientação do Operador Nacional do Sistema. Mesmo assim é mantida a vazão no vertedouro acima dos 75 metros cúbicos por segundo, que é o mínimo obrigatório. A hidrelétrica tem potencial de 855 megawatts, o que é suficiente para 25% da demanda de energia de SC.

Rio Uruguai entre Itapiranga e Barra do Guarita. Foto: Arquivo/TP News

Em Itá, a geração estava em 192 megawatts, nesta segunda-feira, o que dá menos de 20% da capacidade, que é de 1450 megawatts.

Com informações do Diário Catarinense