Mundo
Foto: Montagem/R7

A filha de Juan José Muñoz (o homem acima) não deu crédito ao médico que informou à família sobre a morte do pai, na Clínica Las Peñitas, em Sincelejo, na Colômbia. Martín, um outro filho de Muñoz, contou ao jornal El Heraldo que o pai deu entrada no local durante a madrugada, após apresentar pressão arterial muito alta.

A condição não era nenhuma novidade e tudo parecia transcorrer tranquilamente. No entanto, duas horas depois de chegarem à clínica, a família foi informada de que o paciente de 67 anos havia falecido. Foi aí que a filha do paciente, cujo nome não foi revelado pela publicação, solicitou ver o corpo do pai.

O pedido foi negado pela equipe, que alegou perigo de contágio devido ao novo coronavírus. A mulher não se deu por convencida e aproveitou um descuido dos funcionários para invadir o necrotério da clínica.

Ao entrar no local, ela encontrou o pai respirando e de olhos abertos. A filha reportou a situação a um profissional de saúde, que insistiu: Muñoz estava morto e essa era uma “reação normal de todo falecido”.

“Minha irmã não aceitou a resposta e decidiu levá-lo para outra clínica”, explicou Martín.

Muñoz foi transferido para a Clínica La Concepción, onde está totalmente consciente e com quadro de saúde estável. A Clínica Las Peñitas e as autoridades locais ainda não se manifestaram sobre o caso.

Portal R7