Polícia
Foto: PC/Divulgação

Seis pessoas foram indiciadas por um esquema de receptação de medicamentos para tratamento de câncer no Hospital de Caridade de Ijuí, no Noroeste do RS. O inquérito foi concluído na semana passada e remetido nesta segunda-feira (10) ao Judiciário.

Os remédios tinham sido roubados na cidade de Muriaé, em Minas Gerais. O ex-presidente e cinco funcionários da instituição foram apontados como responsáveis por crime de receptação qualificada, coação no curso do processo, crimes contra relações e saúde e associação criminosa.

O grupo já tinha sido afastado dos cargos em janeiro. Os lotes foram encontrados em novembro do ano passado no hospital de Ijuí.

A medicação havia sido roubada no dia 17 de outubro, em um caminhão que carregava carga avaliada em mais de R$ 1 milhão. Homens armados teriam abordado o motorista, que transportava os medicamentos em um caminhão refrigerado, e colocado os remédios em outro veículo.

Os medicamentos foram encontrados no hospital em Ijuí após uma denúncia. Eles foram comprados de uma distribuidora não credenciada, por mais de R$ 600 mil, conforme a polícia.

Cada caixa tem um selo holográfico, com isso a farmacêutica proprietária da carga pôde rastrear e identificar os medicamentos. Primeiro eles foram encontrados em uma distribuidora não credenciada em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, que vendeu para o hospital de Ijuí, em 31 de outubro.

G1 RS