Educação
Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini/CP

Diante das resistências, o governo do Estado apresentará nova proposta de reajuste do piso do Magistério. A sugestão encaminhada aos deputados nesta tarde foi de 5,53% aos professores que não receberia nada, segundo o texto original.  O impacto será ampliado de R$ 650 milhões para R$ 730,6 milhões. O acordo foi selado em reunião comadada pelo governador Eduardo Leite e secretários estaduais. Mudança será protocolada ainda hoje na Assembleia Legislativa, onde projeto tramita.

Nessa semana, algumas bancadas manifestaram a necessidade de mudanças ao projeto original, incluindo as maiores, MDB e PP, e o próprio PSDB, partido do governador. O projeto original previa aumento de 32% na tabela do magistério. Na prática, porém, parte do reajuste será viabilizada com a absorção de uma parcela de irredutibilidade, criada com a modificação do plano de carreira, em 2020, de natureza transitória. Ou seja, as vantagens temporais. Com isto, na prática, os professores na ativa receberão, em média, 22,5% de reajuste. Os aposentados, como têm mais vantagens temporais, contariam com reposição média de 6,15%. Outros, teriam reposição zero, segundo o texto original.

Receba as notícias do Três Passos News no seu celular:

https://chat.whatsapp.com/GD1P1RTEpXKIWUSRQLhdsM

Correio do Povo