Famosos
Foto: Reprodução

Um homem natural de Santa Rosa suspeito de ameaçar a dupla Simone & Simaria nas redes sociais foi preso nesta segunda-feira (11) em Novo Hamburgo, Região Metropolitana de Porto Alegre. Ele tinha um mandado de prisão preventiva expedido pelo Juizado Especial Criminal de Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, pelos crimes de ameaça e injúria.

O processo corre em segredo de Justiça

Por meio de uma nota, a assessoria de imprensa da dupla informou que após “graves ataques sofridos pelas artistas em suas respectivas redes sociais” e para preservar a “integridade física das cantoras e seus familiares, levou a questão ao conhecimento das autoridades públicas para os devidos fins e providências”.

De acordo com o delegado Alexandre Ferreira Quintão, da 3ª Delegacia de Polícia de Novo Hamburgo, ele foi encontrado em casa, no bairro Boa Saúde, onde morava com a esposa e dois filhos. Há cerca de dois anos, segundo Quintão, ele começou a ameaçar a dupla nas redes sociais.

“Ele diz que a famílipresonha delas seria responsável por ele quase ter morrido, em Campo Grande, em 1996, mas não explica o motivo. Diz que sofreu um atentado a tiros e foi preso no interior do Mato Grosso do Sul, saiu de lá e voltou ao Rio Grande do Sul. Como disse que conhecia elas, resolveu agora ameaçar pedindo que o ajudassem”, conta o delegado. Nenhuma informação, porém, foi confirmada pela polícia.

A urgência no cumprimento do mandado se acentuou nesta semana porque, em uma postagem, o homem citava o show de Simone e Simaria no Estádio Beira Rio, em Porto Alegre, no dia 14 de dezembro.

“Estão esperando terminar aquilo que a família delas começou lá no Mato Grosso do Sul. Isso mostra o quanto são covardes”, escreveu, em um post no Instagram. No seguinte, publicou uma foto das irmãs.

Conforme o delegado, o suspeito é usuário de drogas há duas décadas e tem diversos antecedentes criminais por pequenos delitos.

“Acreditamos que tenha algum distúrbio. É usuário de drogas há mais de 20 anos. Disse que usou tudo que é tipo: maconha, crack, cocaína. Tem várias passagens por pequenos furtos, cinco [passagens] por posse de entorpecente, quatro passagens por violência doméstica. Cumpriu pena no semiaberto, esteve na Penitenciária Modulada [Estadual] de Osório”, lista Quintão.

Foto: Reprodução

A suspeita pela fragilidade emocional do suspeito se deve ao fato de que a maioria das informações prestadas por ele são desencontradas. O delegado diz que, em depoimento informal, o homem clama ser a inspiração de algumas músicas da dupla.

A canção “126 cabides”, por exemplo, foi citada por ele por, supostamente, fazer referência a 1º de fevereiro de 1996, data em que teria sofrido o atentado. Mesmo que interpretada por Simone e Simaria, é de autoria do compositor Tatau, do Araketu.

“E outras, que falam de chifre, de traição, seriam porque ele traiu uma ex-esposa”, afirma o delegado. “Ele delira. Tem esses delírios. É preocupante, pois assim que geralmente começam situações de violência contra pessoas famosas.”

O suspeito é nascido em Santa Rosa, no Noroeste do RS, mas há mais de cinco anos está em Novo Hamburgo. Em 1996, quando disse que passou por Campo Grande, Simone tinha 12 e Simaria, 14 anos. Naquele ano, a irmã mais velha iniciaria a carreira como integrante do grupo do cantor Frank Aguiar, sendo seguida pela mais nova posteriormente.

Nascidas em Uibaí, na Bahia, elas se mudaram ainda crianças para o Centro-Oeste com a família. Não há, porém, qualquer comprovação de que se conhecessem.

O homem foi encaminhado para o sistema prisional gaúcho e aguarda resposta do JEC de Santana de Parnaíba para saber onde permanecerá detido. Como está preso preventivamente, não tem data para que seja posto em liberdade.

VEJA TAMBÉM

G1