Cidade
Troca de gestor está em processo de transição. Foto: Arquivo/TP News

O Hospital de Caridade, pressionado pelo SIMERS e temendo uma possível retaliação dos médicos que poderia vir em prejuízo à comunidade, por paralisar a prestação de serviços, inicia a partir desta sexta-feira, 4, o processo de transição da gestão administrativa, que trará um novo administrador à instituição. A atual gestora, Paula de Paula Rodrigues, que assumiu em janeiro de 2018, permanecerá ainda na função por um período de 30 a 40 dias.

O motivo da exigência dos médicos seria sob alegação de que não havia mais diálogo com a administradora. Apurado pelo Três Passos News com a atual gestora, essa incompatibilidade teria surgido após a administradora reduzir valores de honorários médicos e a modalidade de pagamento por produção e não mais valor fechado. E ainda pelos atrasos do pagamento dos honorários médicos, que estariam ocorrendo pelo grande número de descontos por parte do SUS e que estariam baseados no não atingimento das metas quantitativas determinadas em contrato pelo Estado e pela baixa ocupação dos leitos e também da UTI, que são operações exclusivamente da equipe médica, pois são eles quem determinam a conduta em relação ao paciente e também a liberação de agendas de consultas e cirurgias eletivas para atendimento da população assistida pelo Sistema Único de Saúde.

Conforme o Simers, além da destituição da administradora, os médicos também querem participar da discussão de alternativas para o pagamento do passivo de R$ 4 milhões, dos anos de 2016 e 2017, que lhes são devidos e participação ativa na elaboração de um plano de reestruturação que viabilize a sustentabilidade financeira do hospital.

Um novo administrador deverá assumir o hospital em data ainda a ser anunciada.

*Atualizada às 15h7.