Economia
Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2020 — indicador que mede a inflação das famílias com renda de um a cinco salários mínimos — será divulgado no próximo dia 12 de janeiro e poderá se aproximar ou ficar acima de 5%. A projeção é do economista André Braz, do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), da Fundação Getulio Vargas (FGV). Segundo ele, o IPC-M, medido pela FGV, já ficou em 4,81%. O INPC é usado para reajustar o salário mínimo e os valores das aposentadorias e pensões do INSS acima do piso nacional a partir de janeiro.

Em 2021, mesmo após enviar ao Congresso Nacional uma proposta de salário mínimo de R$ 1.088, o presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória aumentando o valor para R$ 1.100. O reajuste em relação a 2020 ficou em 5,26%.

Foram levados em consideração o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de janeiro a novembro e a variação estimada para o índice em dezembro de 2020. Isso porque o valor do piso nacional é anunciado na virada do ano, antes de a inflação referente ao último mês do ano ser divulgada.

No caso das aposentadorias do INSS acima do salário mínimo, o reajuste é anunciado somente em janeiro, já tomando como base a inflação real acumulada no ano anterior (de janeiro a dezembro).

A taxa sofrerá um impacto da alta dos alimentos que, em 2020, pressionou a inflação e encerrou o ano com um acumulado de quase 20%.

iG