Economia
Foto: Reprodução

Cerca de 200 mil auxílios-doença oferecidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passarão por revisão. Isso porque a Previdência Social investiga as concessões realizadas em 2020, período no qual as agências estavam fechadas por causa da pandemia de Covid-19.

Devido a impossibilidade de realizar perícia médica, os contribuintes com direito ao auxílio-doença receberam na ocasião a quantia de R$ 1.045 – valor do salário mínimo na época – até que fosse feita a retomada das etapas de comprovação médica.

Agora, caso a pessoa tenha direito a um benefício maior, ela receberá a diferença em atrasados. Veja o exemplo:

se um segurado tinha direito a um auxílio doença no valor de R$ 3 mil, com a antecipação sem perícia médica, o beneficiário recebeu apenas R$ 1.045. Caso comprovadas as incapacidades e o direito ao valor maior da ajuda, o trabalhador terá aceso a uma diferença de R$ 1.955.

Como esclarece o INSS, cerca de 3 milhões de pedidos de antecipação foram realizados em todo o Brasil. Deste total, 1 milhão de solicitação foram concedidas e cerca de 200 mil revisões ainda seguem em análise.

Como saber se você tem direito ao recálculo do auxílio-doença?

O segurado que possui direito à diferença do auxílio-doença será notificado pelo INSS. No entanto, o próprio beneficiado também pode consultar manualmente o site do Meu INSS, informado seus dados pessoais, para saber tem direito ou não à revisão do auxílio-doença.

No portal da autarquia, todas as informações acerca dos pagamentos recebidos estão disponíveis no “Extrato de Pagamento de Benefício do INSS”. Outra alternativa é ligando para a central de atendimento do INSS, pelo número 135.

Já aqueles que não foram notificados do pagamento da diferença, mas que mesmo assim possuem direito à revisão, é possível ligar no telefone 135 ou agendar um atendimento também pelo site Meu INSS, na aba “Agendamentos/solicitações” e depois “Solicitação de pagamento de benefício não recebido”.

Capitalist.com