Economia
Foto: Agência Brasil

O governo federal encaminhou ao Congresso Nacional no mês de agosto o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA). Nele, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) conta com uma margem de 6,2% de aumento da inflação, cujo reajuste do salário mínimo foi estimado para R$ 1.169 a partir de janeiro de 2022.

Por outro lado, o Ministério da Economia realizou uma nova revisão dos índices, onde foi encontrada uma nova alta do INPC, que é o principal responsável por medir a inflação do país. Os 6,2% obtidos em agosto subiram para 8,4%, fazendo com que o salário mínimo seja novamente reajustado, com expectativa de subir de R$ 1.169 para R$ 1.192.

Reajustes nas aposentadorias, pensões e benefícios do INSS

A nova projeção no valor do salário mínimo gera mudanças nos pagamentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Atualmente, aposentadorias e pensões tem como valor mínimo a quantia de R$ 1.100, o equivalente ao piso nacional de hoje.

O mesmo montante se aplica ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) e para quem é contribuinte facultativo e individual do INSS. Neste caso, se o reajuste no salário mínimo considerar os 8,4%, os salários em conta destes beneficiários será de R$ 1.192 a partir do ano que vem.

Confira a tabela abaixo:

Aposentadoria em 2021Aposentadoria prevista em 2022 conforme o INPC de 8,4%
R$ 1.100R$ 1.192,40
R$ 1.500R$ 1.626
R$ 2.000R$ 2.168
R$ 2.500R$ 2.710
R$ 3.000R$ 3.252
R$ 3.500R$ 3.794
R$ 4.000R$ 4.336
R$ 4.500R$ 4.878
R$ 5.000R$ 5.420
R$ 5.500R$ 5.962
R$ 6.000R$ 6.504
R$ 6.433,57 (teto do INSS)R$ 6.973,99 (teto do INSS)

Em relação ao teto do INSS, que é o valor máximo pago pela autarquia a um segurado, também haverá reajuste. Hoje em dia, o teto máximo do INSS é de R$ 6.433,57. Entretanto, tendo como base o INPC a 8,4%, o valor pode chegar a R$ 6.973,99.

Capitalist