Comportamento
Foto: Arquivo Pessoal

Um jovem que perdeu parte do rosto após ser atingido por fogos de artifício viralizou na web após contar a sua própria história, em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. Samuel Rodrigues, de 29 anos, perdeu o nariz, o palato superior, o maxilar e a visão do olho direito após o acidente, que aconteceu em 2012. Ao expor o rosto na internet, ele percebeu que estava ajudando outras pessoas a se aceitarem.

“Percebi que eu posso estar ajudando outras pessoas que estão com algum complexo, com depressão, com autoestima baixa, a se aceitarem. Percebi que eu tenho uma linda história de superação”, contou.

O rosto de Samuel foi atingido por fogos de artifício enquanto ele trabalhava em um show em Caldas Novas, no sul goiano, em 17 de novembro daquele ano. Dez meses depois, ele fez uma cirurgia de reconstrução facial, no Hospital das Clínicas (HC), em Goiânia. Esta foi a primeira vez que um procedimento deste tipo foi feito em Goiás.

Durante todos estes anos, Samuel optou por usar uma máscara facial para evitar mostrar o rosto, inclusive, nas redes sociais. No entanto, três meses atrás, após aparecer em uma live sem a proteção facial, ele se surpreendeu com a reação positiva das pessoas.

“Eu estava assistindo uma live de uma pessoa que eu admiro e eu pedi para participar. Ele aceitou a minha chamada de vídeo e eu estava sem máscara. Eu conversei com ele, naturalmente, contei minha história e eu tive uma reação inesperada. Eu pensei que fosse ter julgamento, mas me acolheram tão bem, que eu quis continuar fazendo isso”, contou.

Samuel ainda contou que, durante a live, ele percebeu o quanto a história dele poderia mudar a vida de outras pessoas.

“Uma pessoa comentou ‘já imaginou quantas pessoas podiam estar morrendo por você ter vergonha de mostrar o rosto?’. E ai eu pensei: ‘tenho uma história linda de superação’ e entendi a mensagem. Posso ajudar pessoas com depressão, com baixa autoestima, a se aceitarem, levando a minha história”, disse.

Logo que começou a fazer mais posts na internet, Samuel viralizou. Em uma das redes sociais, após postar um vídeo bem-humorado tentando, sem sucesso, comer uma maça, ele ultrapassou 2,5 milhões de visualizações.

Jovem que perdeu parte do rosto ao ser atingido por fogos de artifício bomba na web ao contar sua história, em Trindade, Goiás — Foto: Reprodução/Instagram
Jovem que perdeu parte do rosto ao ser atingido por fogos de artifício bomba na web ao contar sua história, em Trindade, Goiás — Foto: Reprodução/Instagram

Em outro vídeo, que já acumulou mais de 3,5 milhões de visualizações, ele respondeu à pergunta de um internauta que perguntou: “Com todo respeito, como você respira?” Na resposta, Samuel brincou que “faz fotossíntese”.

O jovem explicou que sempre foi extrovertido e que gosta de fazer brincadeiras. Por isso, ao postar vídeos, não seria diferente.

“Sempre brinco muito, sempre fui brincalhão e foi quando eu decidi brincar com a minha aparência, por ser diferente e até engraçado, e foi muito bem aceito pelas pessoas. Está sendo importante para quem tem algum complexo”, contou.

Por ser cego de um dos olhos, atualmente, Samuel é aposentado. Ele explicou que além da visão do olho direito, que perdeu completamente no acidente, ele enxerga apenas 20% do olho esquerdo. Morador de Trindade, ele vive com a esposa e com o filho, de 3 anos.

Samuel junto ao filho, de 3 anos — Foto: Reprodução/Instagram
Samuel junto ao filho, de 3 anos — Foto: Reprodução/Instagram

Nova cirurgia de reconstrução

Samuel ainda sonha em fazer uma nova cirurgia de reconstrução facial, mas, para isso, explicou que ainda precisa voltar a fazer acompanhamento médico. Ele explicou que o novo procedimento será para restabelecer a funcionalidade do sistema respiratório.

“O foco principal dessas novas cirurgias é restabelecer a funcionalidade do sistema respiratório, não é por estética. Seria para preencher a estrutura do rosto, pois eu perdi praticamente todos os ossos dos olhos para baixo. A região nasal e oral se tornaram uma coisa só. Eu respiro pela boca e pela traqueostomia”, disse.

Ele explicou que a reconstrução dos ossos do rosto dele deve feita com o uso de prótese ou de ossos de outras partes do corpo, como da costela.

Apesar do atual desejo de fazer o procedimento, ele disse que nem sempre teve esta vontade. O motivo, segundo ele, foi um trauma causado pela primeira cirurgia. Após superar o trauma com acompanhamento psicológico, agora, Samuel aguarda as consultas ambulatoriais voltarem ao normal, após a pandemia, para poder voltar a fazer acompanhamento médico.

“O pós-operatório foi muito traumático. A médica foi atenciosa, porém, foi doloroso e traumático. Eu decidi me afastar dos consultórios. Depois de acompanhamento, eu já planejava voltar às consultas para planejar as próximas cirurgias, mas a pandemia interrompeu esse processo. Estou aguardando voltarem com as consultas para voltar a fazer as próximas cirurgias”, contou.

Samuel na época que fez a cirurgia de reconstrução facial, em Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Samuel na época que fez a cirurgia de reconstrução facial, em Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Receba as notícias do Três Passos News no seu celular:

https://chat.whatsapp.com/LpSJn1andC28wbpj7mEFso

G1 Goiás