Saúde
Foto: Arquivo/TP News

Um grupo de médicos do Hospital de Caridade segue mobilizado e voltou a pedir o afastamento da administradora, Paula de Paula, além da discussão de alternativas para o pagamento do passivo de R$ 4 milhões devidos aos médicos e participação ativa na elaboração de um plano de reestruturação que viabilize a sustentabilidade financeira do hospital. O grupo realizou assembleia no último dia 25 e aguarda uma posição da direção nesta semana sobre o afastamento da administradora. As informações são do Simers.

Conforme o sindicato, o atraso nas remunerações, somente neste ano, é de mais de seis meses. Além disso, há um passivo para os médicos que remontam a 2016. Segundo Lauro Borth, o déficit mensal da instituição gira em torno de R$ 700 mil e que não há como dar prazo para o pagamento do passivo. No entanto, acenou com a possibilidade de obtenção de um empréstimo com uma instituição financeira, que poderia garantir a manutenção do hospital e o pagamento do déficit operacional e do passivo para os médicos.

Ainda conforme o sindicato, os médicos também decidiram dar um prazo até o final do ano para que a administração apresente soluções para saldar as dívidas. Eles estão mais uma vez dando um voto de confiança à instituição e ressaltam que, mais do que nunca, é necessário diálogo e boa relação entre o corpo clínico e a direção, o que exige uma resposta firme do hospital nessa direção.

A administradora ainda não se manifestou sobre o caso.